Ana Cardozo de Lorenzo, que não foi à CPI nesta terça-feira para prestar depoimento, enviou um documento à comissão confirmando recebimento de cheque de R$ 28 mil

Ana Cardozo de Lorenzo, dona da empresa Serpes Pesquisa de Opinião e Mercado, contratada para a campanha de Marconi Perillo (PSDB) ao governo de Goiás em 2010, enviou documento à CPI do Cachoeira confirmando que recebeu um cheque de R$ 28 mil da empresa fantasma Alberto & Pantoja Construções. A informação foi dada pelo relator da comissão, deputado Odair Cunha (PT-MG), nesta terça-feira (3).

Leia mais: Relator da CPI diz que comissão aprovará na 5ª reconvocação de Cachoeira

Leia também: CPI encerra sessão sem ouvir nenhum dos convocados

Veja o especial do iG sobre a CPI do Cachoeira

A Polícia Federal havia informado que eram dois cheques, no valor total de R$ 56 mil. O relator diz que vai investigar o destino do segundo cheque encontrado pela PF.

Ana Lorenzo deveria ter prestado depoimento à CPI nesta terça, mas não compareceu e não apresentou justificativa para sua ausência .

Segundo a Polícia Federal, a Alberto & Pantoja é uma empresa de fachada criada pelo contraventor Carlinhos Cachoeira para lavar dinheiro da empreiteira Delta.

Um cheque de R$ 45 mil emitido pela Alberto & Pantoja também foi utilizado para pagar parte da dívida de campanha de Perillo com o jornalista Luiz Carlos Bordoni, que depôs na semana passada.

Além de Ana Lorenzo, a CPI havia marcado outros três depoimentos para esta terça-feira. Uma testemunha apresentou atestado médico e as outras duas não foram localizadas pela comissão para entregar a convocação.

Os agentes da Polícia Legislativa não conseguiram notificar o ex-presidente do Departamento de Trânsito (Detran) de Goiás, Edivaldo Cardoso. A alegação é que ele estava em viagem. Cardoso teria sido indicado ao cargo por Cachoeira. No relatório dos policiais entregue à CPI, eles informaram que a empregada da casa de Cardoso, em Goiânia, disse que tinha ordem para nem receber nem assinar qualquer documento.

Com Agência Câmara de Notícias

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.