Serra boceja durante debate e Alckmin vai embora antes do final

Por Wanderley Preite Sobrinho - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Nomes tucanos foram termômetro do encontro dos candidatos à Presidência marcado pelo desânimo da plateia

Principais nomes do PSDB paulista no debate de terça-feira (26) entre os presidenciáveis, o governador de São Paulo e candidato à reeleição, Geraldo Alckmin, e o candidato ao Senado, José Serra, foram um termômetro do encontro, marcado pelo desânimo da plateia.

Análise: Debate de confrontos tem Aécio no ataque, Dilma acuada e Marina regular

Ao contrário da maioria dos políticos, Serra preferiu não se misturar à imprensa no hall de entrada. Entrou pelos fundos, ficou afastado dos correligionários no estúdio e, sem gravata, foi direto para a última fileira da plateia, acompanhado apenas por assessores.

Veja imagens do debate entre presidenciáveis nesta terça-feira:

Debate da TV Band é o primeiro encontro entre os concorrentes à Presidência da República. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressTucano Aécio Neves durante o primeiro debate entre presidenciáveis na TV Bandeirantes. Foto: Orlando Brito/Coligação Muda BrasilDeputado Marco Feliciano (PSC), candidato à reeleição, chegou atrasado ao debate nesta terça. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGEncontro de Dilmas: humoristas encarnam Dilma Rousseff, candidata à reeleição do PT, nos bastidores da TV Band. Foto: Wanderley Preite Sobrinho/iGCandidatas Marina e Dilma, conversam momentos antes do debate entre presidenciáveis. Ao lado, Aécio Neves. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressDilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, chega ao estúdio da TV Band para o primeiro debate entre presidenciáveis. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressMarina Silva (PSB) foi cautelosa ao comentar nova posição nas pesquisas de intenções de voto. 'Só o começo dos trabalhos'. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressAécio Neves (PSDB) cutucou a adversária Marina ao classificá-la como um 'projeto improvisado' à Presidência. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressLuciana Genro, candidata do PSOL, também participou do primeiro debate presidencial. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressPastor Everaldo (PSC) aparece em quarto lugar nas pesquisas, com 1% dos votos. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressEduardo Jorge (PV) também participa do debate presidencial da TV Band. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressLevi Fidélix (PRTB) também participa do debate presidencial da TV Band. Foto: Marcos Bezerra/Futura Press

Distraído, ele raramente olhava para o palco. Passou a maior parte do tempo mirando os lados, conversando com os assessores ou bocejando. No meio de um dos blocos, deixou seu assento e foi para o banheiro lavar o rosto.

Mais sobre o debate:

- Agressiva e irônica, Dilma mantém Aécio como o principal adversário
Marina é pressionada por adversários a provar que é alternativa ao PT e PSDB
Aécio insinua que candidatura de Marina Silva é um "projeto improvisado"

Menos paciência teve Alckmin, que também evitou o assédio da imprensa. Ao lado de ex-governador Alberto Goldman e perto do vice de Aécio, Aloysio Nunes, assistiu ao primeiro bloco sem falar muito. Sério, driblou repórteres durante os intervalos até que decidiu se levantar e ir embora antes que o encontro acabasse.

Nanicos renderam gargalhadas

Os candidatos Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSOL) e Levy Fidélix (PRTB) protagonizaram os momentos mais engraçados do debate, acordando a plateia adormecida, que cedeu com gargalhadas, aplausos e atenção. Os comentários inusitados viraram assunto entre os internautas e repercutiram nas redes sociais.

Marcos Bezerra/Futura Press
Candidato Eduardo Jorge (PV) virou tema nas redes sociais pelos comentários em debate

A plateia riu, por exemplo, quando o representante do Partido Verde enfatizou ter sido ele o autor da lei dos medicamentos genéricos. Serra costuma reclamar a paternidade do projeto. Nem Aécio, alvo da pergunta no momento, segurou o riso e cedeu a brincadeira de Jorge.

Fidélix quebrou o silêncio entre os presentes quando perguntou "quais dos ditos principais candidatos" ainda não haviam sido questionados. O político então foi alertado pelo mediador Ricardo Boechat, jornalista da Band, que poderia direcionar uma pergunta para Marina Silva. "Ah, então vou bombardear dona Marina. Com todo o respeito, claro".

Já a candidata do PSOL ficou "chateada" após não receber nenhuma pergunta dos outros candidatos na primeira rodada. O comentário provocou risos entre os presidenciáveis e o jornalista Ricardo Boechat, mediador do debate, que se mostrou envergonhado pela ausência de formalidade entre os nanicos. Boechat então explicou que a ordem dos questionamentos foi decidida em um sorteio antes do debate. 

Leia tudo sobre: eleições 2014josé serrageraldo alckmin

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas