CIA mantinha prisão secreta na capital da Romênia, dizem jornais

Suspeitos de terrorismo eram presos e torturados no prédio, que pertence a uma instituição do governo romeno

iG São Paulo |

A CIA (Centro de Inteligência Americano) operava em uma prisão secreta na capital da Romênia, em Bucareste, onde os suspeitos de terrorismo eram interrogados, revelou uma investigação encabeçada pela agência Associated Press e jornal alemão.

Leia também: Mudanças no Pentágono e na CIA revelam nova postura de combate

AP
O prédio da Orniss fica em um movimentado bairro há poucos minutos do centro de Bucareste, capital da Romênia

Ex-agentes da organização identificaram o prédio onde os suspeitos eram presos e torturados. A construção pertence ao romeno Escritório Nacional de Registro para Informações do Serviço Secreto (Orniss), que armazena informações da União Europeia e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). A Orniss negou que tenha abrigado uma prisão da CIA - que também se recusou a tecer qualquer comentário sobre o assunto.

A investigação, realizada pelo jornal Zeitung e pelo canal ARD, afirmou que dentre os detidos na prisão estava Khalid Sheik Mohammed, que admitiu ter organizado o ataque de 11 de Setembro.

Ele foi capturado no Paquistão em março de 2003 sob o programa americano conhecido como "rendição extraordinária" - a detenção e transferência extra-judiciais impostas a suspeitos de terrorismo.

Ele está detido na Baía de Guantánamo desde 2006, onde espera por julgamento.

A Orniss negou veementemente as acusações. Questionado se o prédio já havia sido usado para prender supostos terroristas islâmicos, o vice-presidente Adrian Camarasan afirmou: "Aqui? Não!"

Um antigo agente da CIA disse que ele visitava o local frequentemente e, segundo as publicações, disse: "Era muito discreto lá. Não era como se os funcionários romenos saíssem para me cumprimentar."

As primeiras descobertas de uma rede da CIA de "locais negros" em países, incluindo a Romênia, vieram à tona em 2005, mas foram negadas pelo governo americano.

Em 2007, uma investigação do Conselho da Europa acusou a Romênia de operar uma prisão secreta, mas todas essas acusações foram negadas por Bucareste. A CIA qualificou a reportagem como "tendenciosa e distorcida" e que a organização opera na legalidade.

Em 2006, o então presidente americano George W. Bush (2001 - 2009) admitiu que suspeitos de terrorismo foram detidos em prisões da CIA fora do território dos EUA, mas não especificou a localização dessas prisões.

Segundo a AP, a prisão na Romênia foi inaugurada em 2003. O local consistia em seis celas, cada uma com um relógio e com uma seta apontando para Meca. A prática conhecida de tortura por afogamento não era praticada na Romênia.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: romêniabucaresteciaeuaterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG