Furacão deixa rastro de destruição no Caribe e castiga Bahamas

Após causar 21 mortes em Cuba e na Jamaica, Sandy se movimenta em direção à costa leste dos EUA

Reuters |

Reuters

O furacão Sandy atingiu as Bahamas com ventos violentos e tempestades nesta sexta-feira, passando pelo arquipélago depois de causar 21 mortes no Caribe e se colocar como uma ameaça para a costa leste dos EUA.

Meteorologistas advertiram que a tempestade deve se encontrar com uma massa de ar polar perto dos Estados Unidos na próxima semana, potencialmente produzindo uma tempestade extremamente incomum e potente que poderia causar estragos ao longo da costa.

Leia também:  Furacão Sandy causa estragos ao atingir Cuba

AP
Cubano tenta recuperar pertences em casa destruída por furacão Sandy em Aguacata (25/10)

Na noite de quinta-feira, o furacão Sandy enfraqueceu para uma tempestade de categoria 1, à medida que passou por ilhas baixas do sudeste das Bahamas, interrompendo a energia e arrancando telhados de algumas casas em regiões escassamente povoadas.

Chuvas torrenciais e fortes ventos da tempestade foram responsáveis pela morte de 21 pessoas. O governo cubano disse na quinta-feira à noite que 11 pessoas morreram quando a tempestade atravessou a ilha, a maior parte em consequência de desabamentos de casas ou de quedas de árvores na província de Santiago de Cuba e na vizinha Guantánamo.

O Departamento de proteção civil do Haiti disse que nove pessoas morreram apesar de o país não ter sofrido o impacto direto de Sandy, e uma pessoa foi morta devido à queda de rochas na Jamaica quando a tempestade atingiu o país, na quarta-feira. Ventos e chuvas geradas pelo furacão também chegaram ao sul da Flórida.

Sandy está previsto para permanecer como um furacão de categoria 1, enquanto continua a se mover sobre as Bahamas na sexta-feira, causando chuvas torrenciais e ventanias por muitas centenas de quilômetros.

Nas Bahamas, autoridades do governo alertaram moradores para ficarem em casa até que a tempestade passe. Não houve relatos imediatos de vítimas ou feridos graves.

O furacão deve sair das Bahamas até a noite de sexta-feira e ir em direção ao norte, para a costa dos EUA. Meteorologistas dizem que Sandy deve ser puxado para dentro de outra tempestade que está se deslocando do oeste, fazendo com que atinja o continente dos Estados Unidos na segunda ou início de terça-feira e desencadeando fortes chuvas, tempestades e possivelmente ventos com força de furacões.

    Leia tudo sobre: cubaeuabahamassandyfuracãofuracão sandy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG