Arqueólogos encontram barca funerária de 5 mil anos no Egito

Artefato teria pertencido à primeira dinastia dos faraós, em 3000 a.C

EFE |

EFE

EFE
Tábuas encontradas por arqueólogos perto de Gizé são de 3000 a.C

Uma equipe de arqueólogos encontrou no Egito uma barca funerária de madeira que possivelmente teria sido usada durante a era do rei Den, na primeira dinastia faraônica, em torno do ano 3.000 a.C., informou nesta quarta-feira (25) o Ministério egípcio de Antiguidades.

Em comunicado, o ministro Mohammed Ibrahim destacou que a barca se encontra em bom estado e foi achada na zona arqueológica de Abu Rauash, situada na província de Gizé, ao oeste da capital Cairo.

Leia também:
Arqueólogos encontram tumba faraônica de 4 mil anos no Egito
Restauração de pirâmide mais antiga da história será retomada

Ibrahim disse que uma delegação do Instituto Cientista Francês de Antiguidades Orientais estava escavando o lugar no momento em que descobriu alguns vestígios da barca, concretamente 11 tábuas de madeira, cada uma com 6 metros de comprimento e 1,5 de largura.

Estas peças arqueológicas foram transferidas ao centro de reabilitação do Grande Museu egípcio, onde serão tratadas para garantir sua conservação. Posteriormente, elas deverão ser expostas no Museu Nacional da Civilização Egípcia, na sala dedicada ao Rio Nilo.

Um responsável deste Museu, Hussein Abdel Basir, assegurou que a embarcação achada era do tipo funerário, que eram colocadas ao lado dos túmulos das pessoas para que estas pudessem utilizá-la em outro mundo.

Este mesmo tipo de embarcação já foi encontrada próxima às tumbas dos faraós, que também acreditavam que as mesmas poderiam ser usadas em uma nova vida.

Em fevereiro, arqueólogos iniciaram os trabalhos para extrair centenas de peças de madeira da segunda barca solar do mais poderoso dos faraós egípcios, Queoós (2609-2584 a.C.), pertencente à IV dinastia faraônica.

    Leia tudo sobre: arqueologiaegitofaraós

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG