Casal é 'macho e fêmea', diz PSC ao questionar casamento gay no STF

Por Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Partido do pastor Marco Feliciano afirma que Conselho Nacional de Justiça usurpou atividades ao recomendar que cartórios cumpram decisão do Supremo

Afirmando que o casal é constituído por “um macho e uma fêmea”, o Partido Social Cristão (PSC), legenda do presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, deputado Pastor Marco Feliciano (SP), ingressou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) requerendo a suspensão do ato do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) da semana passada que autorizou os cartórios brasileiros a formalizar o casamento civil entre casais do mesmo sexo.

Leia também: Cartórios são obrigados a celebrar casamento gay

Na ação, o partido afirma que a resolução do CNJ usurpou poderes ao supostamente legislar sobre tema ainda em tramitação no Congresso Nacional. O partido classificou o presidente do STF e do CNJ, Joaquim Barbosa, de “violar direito liquido e certo de todos os filiados do PSC”. “Acontece que o inteiro teor da resolução do CNJ ... não pode ter validade, sem ser objeto de devido Progresso Legislativo, como prevê a Constituição Federal de 1988”, afirma o partido.

Mais no iGay:
Veja o mapa mundi da união gay
Daniela Mercury e Malu Verçosa entram na campanha pelo casamento gay
Casamento igualitário: o que vivemos hoje era uma utopia sete anos atrás 

No transcorrer da petição, o partido afirma que a constituição familiar, historicamente, é constituída apenas por casais de sexos distintos e não por casais do mesmo sexo. “Quanto às pessoas, aos seres humanos, que pretendam estabelecer entre si união homoafetiva, não podem elas, por imperativo lógico e conceitual, formar um par, um casal”, afirmam os advogados do partido. “Onde não há diversidade de sexos, não há que se falar em casal. Coisas iguais, é certo, podem formar um par, desde que haja entre elas um elemento diferencial que as faças completar uma à outra”, prossegue o partido.

Feliciano ao iG: 'Nunca perdi o controle da comissão'
Poder Online: ‘Não ficarei numa comissão dirigida por um anti-humano’, diz petista
Leia mais: Presidente da Câmara cobra ‘comportamento decente’ de Feliciano
Leia também: Em reunião de líderes, Feliciano volta atrás e diz que fará reuniões abertas
Vídeo: Feliciano diz que Deus ‘matou’ John Lennon e Mamonas Assassinas

O PSC ainda afirma que “nem que se diga que as modificações havidas nos esquemas familiares, ainda que substanciais, modificaram a estrutura familiar fincada na existência de um casal”. “O fato social das parcerias homossexuais, guarda, pelos elementos que o caracterizam, profundas e fundamentais diferenças com os diversos instintos que compõem o universo das entidades familiares”.

Na semana passada, o CNJ ratificou uma decisão do Supremo Tribunal Federal de maio de 2011, que reconheceu a união estável entre casais do mesmo sexo. A decisão ocorreu de forma unânime. Todos os dez ministros que participaram da sessão reconheceram a existência da união estável homoafetiva.

Leia tudo sobre: stfsupremomarco felicianoigaycartórios

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas