Brasil registra avanços no combate à fome, aponta relatório da ONU

País conseguiu reduzir número de pessoas que passam fome ou sofrem de desnutrição de 14,9%, no período de 1990 a 1992, para 6,9%, entre 2010 e 2012

Agência Brasil | - Atualizada às

Agência Brasil

Os números de pessoas que passam fome ou sofrem de desnutrição no Brasil, em Angola (África) e em Moçambique (África), países de língua portuguesa, caíram no período de 1990 a 2012. A conclusão está no relatório Estado da Insegurança Alimentar no Mundo 2012 da Organização de Alimentação e Agricultura da ONU (FAO), divulgado nesta terça-feira, em Roma, na Itália.

Entenda:  Uma em cada oito pessoas passa fome no mundo, diz ONU

Pelos dados do relatório, o Brasil conseguiu reduzir de 14,9%, no período de 1990 a 1992, para 6,9%, nos anos de 2010 a 2012, o percentual de subnutridos. No país, cerca de 13 milhões de pessoas passam fome ou sofrem com desnutrição. Os programas sociais desenvolvidos pelo governo brasileiro em parceria com os governos estaduais e municipais, além da iniciativa privada, foram elogiados no documento.

O Programa Bolsa Família é uma referência, segundo o relatório. Para os especialistas, o Bolsa Família é um instrumento positivo para promover a capacitação econômica das comunidades. Há elogios também ao sistema adotado pela prefeitura de Belo Horizonte (Minas Gerais) de combate à fome na periferia da cidade.

Leia mais notícias:

Governo começa a pagar complemento de R$ 70 ao Bolsa Família
Governo espera erradicar pobreza extrema no Brasil até 2014
Novo programa do governo deve beneficiar 2 milhões de famílias

Em Angola, houve registros de melhora. Os percentuais caíram de 63,9%, de 1990 a 1992, para 27,4%, de 2010 a 2012. Cerca de 5 milhões de pessoas são consideradas subnutridas ou passam fome no país. Mas em Moçambique os resultados são considerados pouco positivos, pois a queda foi menor – de 57,1%, de 1990 a 1992, para 39,2%, de 2010 a 2012.

No período de 1990 a 2012, África é o único continente que registrou aumento no número de pessoas que passam fome ou sofrem com a desnutrição. O relatório diz que há aproximadamente 239 milhões lá. A América Latina e o Caribe registraram progressos, reduzindo o número de pessoas com fome de 65 milhões para 49 milhões, no período de 1990 a 2012.

    Leia tudo sobre: fomebolsa famíliadesnutriçãorelatórioONU

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG