Tamanho do texto

Três semanas após a morte do pastor Anderson do Carmo, a polícia busca respostas para pontos do caso; próximos dias podem trazer novidades

Flordelis e Anderson do Carmo
Reprodução
Marido da deputada Flordelis, Anderson do Carmo foi executado dentro de casa em Niterói

No último sábado (6), a morte do pastor Anderson do Carmo completou três semanas e ainda segue envolta em mistério. Responsáveis pelo caso, agentes da Delegacia de Homicídio de Niterói buscam provas para resolver alguns dos furos da história e descobrir como se deu a execução do marido da deputada federal Flordelis.

Leia também: Perdendo fiéis e com obras paralisadas, igrejas de Flordelis entram em crise

Apesar de correr em sigilo, a expectativa é de que os próximos dias tragam uma 'nova luz' para a investigação. Alguns dos pontos de dúvida , como a arma utilizada, a linha do tempo da noite do assassinato e os possíveis envolvidos, devem ser resolvidos com a realização de novos depoimentos, com o resultado de exames de perícia e até uma possível reconstituição.

Próximos passos da investigação

Perícias

Arma
Gilvan de Souza / Agência O Dia
Além do laudo da arma, policiais também não receberam resultado do exame toxicológico feito nos cães da família

A Polícia já solicitou a  perícia da arma encontrada no quarto de Flávio dos Santos , um dos filhos de Flordelis que está preso e é um dos principais suspeitos de envolvimento no crime. Ele, inclusive, chegou a confirmar a autoria , mas acabou voltando atrás após orientação de seu advogado .

A expectativa dos agente é que o resultado confirme que a arma foi utilizada para realizar os disparos que mataram Anderson e coloquem Flávio mais próximo do 'posto' de autor. Entretanto, a defesa dele alega que a pistola 9mm  pode ter sido plantada pelos investigadores durante visita ao local do crime.

Além disso, outra perícia aguardada pelos investigadores, e que deve ser concluída nesta semana, é o laudo toxicológico feito nos cachorros da família. A expectativa é descobrir se os animais foram dopados para que não dessem qualquer tipo de alerta durante o crime. Caso isso se confirme, a participação interna voltará a ser a principal fonte da investigação.

Leia também: Flordelis perde apoio e tem futuro incerto no PSD após morte do marido

Por fim, uma última análise aguardada é dos restos de objetos encontrados em uma fogueira no quintal da casa de Flordelis. Quando  chegaram ao local para realizar uma perícia, os agentes encontraram o fogo ainda ardendo e notaram que muitas coisas já haviam virado cinzas. O que pôde ser resgatado foi enviado para perícia, que tentará identificar o que estava sendo consumido pelas chamas.

Novos depoimentos

Delegacia Niterói
Ricardo Cassiano/Agencia O Dia
Polícia deve colher novos depoimentos sobre o caso ainda nesta semana

Para esta semana, estão marcados novos depoimentos de outros envolvidos na crime. A Polícia espera falar com outros filhos do casal, como Misael da Flordelis , cujo nome de batismo é Wagner Andrade Pimenta e que recentemente mudou seu nome político para se desvencilhar da mãe, e Luan Santos , que deixou a igreja da mãe.

Também não estão descartados novas convocações de pessoas já ouvidas pela investigação. Como ainda precisa entender o que Flávio e Lucas , os dois filhos do casal que seguem presos, estavam fazendo na residência no momento do crime, ambos podem dar declarações novamente.

Caso isso aconteça, eles terão que explicam o que aconteceu nas horas que antecederam a morte de Anderson . Câmeras de segurança da região registraram Lucas entrando e saindo da casa em poucos minutos, antes dos pais chegarem, e indo para um bar. A informação foi confirmada pelo motorista que o levou até o local.

Leia também: "Já me sentenciaram sem que eu tivesse um julgamento", lamenta Flordelis

Já Flávio é visto saindo de casa e entrando em um carro logo após os tiros. Em depoimento, ele afirmou ter ido em busca de uma viatura da PM para reportar o crime que acabava de ocorre. Entretanto, os agentes acreditam que essa possa ter sido apenas uma tentativa de acabar com qualquer suspeita sobre ele.

Reconstituição do crime

Família Flordelis
Reprodução
Família Flordelis

Para os próximos dias, provavelmente ainda nesta semana, a polícia prepara uma reconstituição do crime com os envolvidos. Devem ser convocados ao local todos que estavam presentes na noite do crime, como a própria Flordelis e os filhos que estão presos.

Com isso, os investigadores pretendem preeencher lacunas que seguem abertas sobre a sequência de eventos da noite e que podem confirmar ou derrubar alguns dos depoimentos registrados até agora.

A reconstituição pode ser vital para também confirmar quais foram as ações de Flordelis no dia da morte do marido. Isso porque ela, inicialmente, manteve o posicionamento de afirmar que o crime havia acontecido após uma tentativa de roubo. Quando provas mostraram o envolvimento dos filhos, ela mudou de postura e passou apenas a  pedir justiça e que os verdadeiros responsáveis fossem identificados.

Leia também: 'Impacto emocional' e falta de pastor fazem Flordelis fechar uma de suas igrejas