Para Pauderney Avelino, tributo atinge as camadas mais pobres da população; governo Temer cogita defender a recriação

Estadão Conteúdo

Nilson Bastian/ Câmara dos Deputados - 17.04.16
"Essa discussão deve ser banida", disse Avelino, que já informou Temer da posição de seu partido

O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Pauderney Avelino (AM), afirmou nesta segunda-feira (16) que seu partido votará contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que recria a CPMF. No último fim de semana, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, chegou a dizer em entrevistas que o governo Michel Temer cogita defender a recriação do tributo.

"Meu partido tem posição contra. Não vamos apoiar um eventual retorno da CPMF. Já disse a Temer. É uma questão partidária", afirmou. Segundo o líder, a contribuição atinge a camada mais pobre da população, mesmo aqueles que não possuem conta bancária. Isso porque, afirmou, o tributo será repassado aos preços de produtos e serviços. "Essa discussão deve ser banida".

No último fim de semana, o líder do PSDB na Câmara, deputado Antônio Imbassahy (BA), também se posicionou contra a CPMF. O tucano disse que a bancada não apoiará a recriação do tributo. "Considero um grave equívoco falar de aumento de impostos. A pauta deve ser a drástica redução de despesas, interrompendo a gastança promovida pelo petismo", afirmou.

DRU

Por outro lado, Avelino disse que o DEM apoiará a PEC que prorroga a Desvinculação de Receitas da União (DRU). Atualmente, a proposta está parada em comissão especial na Câmara. De lá, ainda precisa ser aprovada pelo plenário da Câmara e seguir para o Senado. Já a CPMF ainda está estacionada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.