Rosemary disse a aliados que trataria de nomeações com Lula

Troca de e-mails aponta que ex-chefe de gabinete intercedeu em favor de Paulo e Rubens Vieira, presos em decorrência da Operação Porto Seguro da Polícia Federal

iG São Paulo |

O relatório de inteligência sobre a Operação Porto Seguro da Polícia Federal aponta que a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha, disse aos irmãos Rubens e Paulo Vieira que trataria com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre suas nomeações para cargos em agências reguladoras. 

Rosemary Noronha:  'Nunca fiz nada ilegal', diz ex-chefe de gabinete da Presidência

Leia mais: Acusado de chefiar esquema investigado pela PF se diz 'estarrecido'

O documento não cita nominalmente o ex-presidente, mas sim "PR", o que levou investigadores da PF a concluir que a ex-assessora se referia a Lula nas mensagens. A sigla é usada corriqueiramente no governo para referências ao Presidente da República.   

Paulo Vieira, apontado pela PF como chefe do esquema, era diretor de Hidrologia da Agência Nacional de Águas (ANA). Seu irmão Rubens foi nomeado diretor de Infraestrutura Aeroportuária da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), ambos no governo Lula.

Os e-mails entre Rose, Paulo e Rubens - aos três são imputados crimes de corrupção e tráfico de influência - estão copiados no capítulo "troca de favores", do dossiê número 9 da Porto Seguro, rotulado R9 pela PF.

"Diante de tantas trocas de favores buscou-se produzir, com base nos elementos de prova colhidos até o momento, uma relação sobre favores, pedidos, cobranças, ou vantagens que Paulo pede para Rose, e também, favores, cobranças, pedidos ou vantagens que Rosemary pede para Paulo." 

Leia também: Anac cria comissão para apurar denúncias da Operação Porto Seguro

Alvo do TCU: Ministro nega que Secretaria dos Portos tenha cedido ao esquema

A transcrição das correspondências preenche dois volumes de 250 páginas cada. As citações em código também fazem menção ao ex-ministro José Dirceu, condenado no julgamento do mensalão , segundo as investigações.

*Com informações da Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG