Sonda russa pode cair na Terra a partir de 3 de dezembro

Especialistas russos afirmam que sonda poderia cair sobre os Estados Unidos, China, África, Austrália, sul da Europa ou Japão

EFE |

AP
Sonda Phobos- Grunt pesa 13,5 toneladas
Especialistas no setor espacial consideram mínimas as chances da sonda Phobos-Grunt, lançada de uma base do Cazaquistão, ser recuperada, e por isso ela provavelmente cairá sobre a Terra. O programa espacial russo não conseguiu estabelecer contato com a espaçonave . Em suas estações nas Ilhas Canárias, Austrália e na Guiana Francesa, a Agência Espacial Europeia (ESA) também não conseguiu respostas da sonda, que permanece perdida.

Um falha, na quarta-feira (9), impediu que a sonda espacial russa Phobos-Grunt seguisse rumo a Marte . Ela ficou presa em órbita após falhas no equipamento e causa preocupação, pois pode se espatifar e liberar toneladas de combustível muito tóxico na Terra, a menos que engenheiros consigam colocá-la no rumo correto.

De acordo com especialistas russos, o aparelho pode cair sobre a Terra à partir de 3 de dezembro, data do fim da operação de salvamento da Phobos-Grunt. A sonda poderia cair, segundo os analistas, sobre os territórios dos Estados Unidos, China, África, Austrália, sul da Europa ou Japão.

O diretor de uma revista especializada no setor espacial, Igor Lisov, afirmou que os EUA e a China têm mísseis capazes de abater a espaçonave, que pesa 13,5 toneladas.

Leia mais:
Sonda russa está na órbita terrestre e pode cair em breve
Rússia não consegue estabelecer contato com sonda espacial

A agência espacial russa, Roscosmos,informou que ainda não sabe qual o problema apresentado pela máquina, mas que acredita ser possível reconduzir a Phobos-Grunt à sua órbita.

A missão da sonda demoraria 34 meses. No final dela, a espaçonave retornaria à Terra com uma amostra de 200 gramas do solo de Marte. O projeto custou US$ 170 milhões e tinha como objetivo estudar a matéria inicial do sistema solar e explicar a origem de Phobos e Deimos, a segunda lua de Marte, e de outros satélites naturais do sistema solar

    Leia tudo sobre: espaçomarterússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG