Chimpanzés demonstram habilidade em gerenciar conflitos

Pesquisa mostra que grupos de animais contam com um "mediador" para apartar brigas

The New York Times |

Claudia Rudolf von Rohr via The New York Times
De acordo com o estudo, machos influentes ou fêmeas idosas têm papel de mediadores do grupo
Quando dois alunos do quinto ano primário brigam no pátio da escola, talvez um professor intervenha. Constatou-se que os chimpanzés também possuem mediadores semelhantes.

Os mediadores dos chimpanzés "com frequência são machos influentes ou fêmeas idosas", afirmou Carel P. van Schaik, primatologista da Universidade de Zurique e um dos autores do estudo publicado no periódico PLoS One. "Isso parece ser uma manifestação de preocupação com a comunidade", afirmou.

Os chimpanzés foram observados em zoológicos da Suíça, Inglaterra e Holanda.

Surpreendentemente, o mediador realiza muito pouco, afirmou van Schaik - ele apenas caminha entre os chimpanzés e, às vezes, para por um breve momento. Geralmente, isso basta para apartar a briga.

O mediador dos chimpanzés parece obter muito pouco desse processo, se é que obtém algo.

"É possível afirmar que o custo é baixo", afirmou van Schaik sobre o lado negativo de ser um mediador, "mas ele pode se cansar".

Leia também:
Por 'status', chimpanzés fêmeas 'exageram prazer' em relações homossexuais
Fêmea de bonobo é considerada o macaco mais inteligente do mundo

Genética influencia comportamento de primatas
A ciência do novo Planeta dos Macacos
Dias do chimpanzé como cobaia podem chegar ao fim
Chimpanzés fabricam e usam brinquedo sexual

Contudo, continuou o cientista, os chimpanzés mediadores talvez conquistem o respeito de outros chimpanzés. Além disso, esse comportamento talvez tenha origem em um senso de moralidade - um desejo de trabalhar por um bem maior - que poderia elucidar as origens da moralidade nos seres humanos.

"A moralidade deve ter evoluído gradualmente a partir de algumas origens", afirmou van Schaik. "Ela não surgiu do nada", afirmou.

Contudo, como o comportamento interveniente é raro nos chimpanzés, será preciso tempo para compreender que tipo de conflito produz mediação.

"Primeiramente, precisamos determinar o fenômeno", afirmou van Schaik, "e depois poderemos trabalhar para compreendê-lo".

    Leia tudo sobre: chimpanzéanimaiscomportamento animal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG