Cientistas descobrem local exato onde Júlio César foi assassinado

Estrutura de concreto confirma que Júlio César foi apunhalado no centro da Curia de Pompeo, enquanto presidia a reunião do Senado no ano 44 a.C

AFP | - Atualizada às

AFP

AFP
"César de Arles": busto é considerado representação mais antiga de Júlio César, mas não se sabe se se trata mesmo do imperador

Pesquisadores do Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC) espanhol descobriram o lugar exato do assassinato de Júlio César no ano 44 a.C, informou nesta quarta-feira o CSIC.

"Sempre acreditamos que Júlio César tinha sido assassinado na Cúria de Pompeu, em 15 de março de 44 a.C, porque era isso que os textos clássicos apontavam, mas até agora não tínhamos nenhuma prova material deste fato tão frequentemente retratado na pintura historicista e no cinema", explicou o pesquisador do CSIC Antonio Monterroso.

Monterroso e sua equipe descobriram uma estrutura de concreto de cerca de três metros de largura por dois de altura, que teria sido colocada por ordem de Otávio Augusto, filho adotivo e sucessor de César, no lugar exato onde o conquistador da Gália foi esfaqueado por um grupo de senadores, liderados por Cássio e Brutus.

"Sabemos com certeza que o local onde Júlio César presidiu a sessão do Senado e onde morreu esfaqueado foi fechado com uma estrutura retangular de quatro paredes que delimitam um preenchimento de concreto. O que nós não sabemos é se este fechamento também fez com que o edifício deixasse de ser totalmente acessível", declarou Monterroso, citado pelo CSIC.

Leia mais:
Exposição questiona busto de Júlio César encontrado em 2007
Esgoto de cidade soterrada revela segredos sobre Roma Antiga
Cemitério de gladiadores é descoberto na Inglaterra
Arqueólogos encontram acampamento romano de 2000 anos na Alemanha

O bloco havia sido colocado por Augusto para marcar o local onde César presidiu a sua última sessão do Senado e onde foi assassinado, e condenar o lugar.

A descoberta confirma, segundo o CSIC, que "o general foi esfaqueado no centro da parte inferior da Cúria de Pompeu, enquanto presidia, sentado em uma cadeira, a reunião do Senado".

A descoberta faz parte do trabalho de Monterroso e de sua equipe realizado na área arqueológica de Torre Argentina, no centro de Roma, onde está a Cúria de Pompeu, e onde também estão estudando o Portão das Cem Colunas.

    Leia tudo sobre: arqueologiaromajúlio cesar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG