Tamanho do texto

Rui Costa (PT-BA) não poupou críticas a Bolsonaro e disse que a inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista deveria ser do governo estadual

Rui Costa no aeroporto de Vitória da Conquista, no Nordeste arrow-options
Manu Dias/GOVBA
O governador Rui Costa não compareceu à inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), voltou a comentar nesta terça-feira (23) sua ausência na inauguração  do Aeroporto de Vitória da Conquista e não poupou críticas ao presidente Jair Bolsonaro, que viaja neste momento para participar do evento. Em entrevista à Rádio Metrópole , ele lamentou o fato de Bolsonaro ter, em sua opinião, "ódio pelo nordestino e ódio pelo povo baiano. 

Leia também: Carlos diz que responsabilizar escola pela educação é um "grande problema"

"Infelizmente temos um presidente que odeia o povo do Nordeste , odeia o povo baiano", afirmou ao final da entrevista. Ele voltou a dizer que se sentiu agredido com a fala de Bolsonaro e disse ter "orgulho de ser nordestino". 

Costa disse que há duas semanas marcou a data para inauguração do aeroporto e resolveu ligar para o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, para convidar o governo federal a participar do evento como um gesto de aproximação e uma cultura de paz entre os políticos. 

"Eu disse ao ministro que, apesar do atual governo não ter tido a oportunidade de contribuir com a obra, pelo fato dela estar pronta desde dezembro, gostaria de convidar o ente federal por ter financiado parte da obra. Ele confirmou presença e ficou de me dizer quem seriam os outros participantes", afirmou.

Cerimonial

No entanto, o governador disse ter sido informado pela imprensa que a Presidência já estava se preparando para inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista . Ele então ligou para o ministro da Infraestrutura, que teria se desculpado por sua "falha" em não tê-lo avisado.

"Disse a ele que estava com um sentimento de descortesia. Tem uma confusão aí, quem convidou o governo federal fui eu, quem está organizando o evento de inauguração do aeroporto sou eu. O aeroporto está escriturado em nome do povo da Bahia. A obra foi tocada pelo estado da Bahia, não é municipal, nem federal, é estadual", disse.

Rui Costa ainda reclamou do comportamento do cerimonial, que teria sido grosseiro com o seu pessoal. "Para surpresa nossa, chega o cerimonial na sexta-feira de forma rude, grosseira, deselegante e diz  e disse que o evento não era estadual e sim federal. Portanto, não teria participação da população e que seria fechado, pois o presidente não participa de evento aberto. Disseram ainda que só haveria 300 cadeiras num local fechado e o estado só teria 70 credenciais", concluiu.

'Agressões ao povo'

Na tarde de segunda-feira (22), Costa anunciou que não iria à inauguração do aeroporto . Ele alegou que o governo federal quer fazer "uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo, como se fosse uma convenção político-partidária". O governador também criticou "agressões ao povo do Nordeste e ao povo da Bahia".

Leia também: Weintraub é cercado por manifestantes e hostilizado no Pará

"Exercitando a boa educação que aprendi, convidei o governo federal a se fazer presente no ato de inauguração, nesta grande festa. Infelizmente, confundiram a boa educação com covardia, e desde então, temos presenciado agressões ao povo do Nordeste e ao povo da Bahia. A medida anunciada é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo, como se fosse uma convenção político-partidária. Não posso concordar com isso. Por isso, não vou comparecer à inauguração do aeroporto que o povo da Bahia construiu, que o governo do estado construiu", disse Rui Costa, em vídeo divulgado por sua assessoria.