Tamanho do texto

Rêgo Barros afirmou que o presidente não comentou o fato de o governador Rui Costa (PT) ter cancelado sua participação no evento

Otávio Rêgo Barros arrow-options
Alan Santos/PR
Porta-voz da Presidência acredita que Bolsonaro será bem recebido na Bahia


Após polêmica envolvendo governadores do Nordeste, o Palácio do Planalto diz que não teme protestos em Vitória da Conquista, na Bahia, onde o presidente Jair Bolsonaroparticipa, às 10h desta terça-feira (23), da inauguração do aeroporto local, informou o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros . Segundo o porta-voz, o Gabinete de Segurança Institucional ( GSI ) não vê riscos na viagem. Ele acrescentou ainda que presidente será "muitíssimo bem recebido" na cidade da mesma forma como ocorre em outras regiões do país.

Leia também: Governador da Bahia cancela evento com Bolsonaro após frase sobre nordestinos

"Em qual cidade o Bolsonaro chega e não é ovacionado? Em todas. Ele é muito bem recebido pela população e não seria diferente em Vitória da Conquista, onde nós temos um apreço especial pelo senhor prefeito, por aquela população e entendemos a importância, como dito anteriormente, da inauguração do aeroporto para ajudar na divulgação cultural, histórica e prover melhorias no ambiente econômico e turístico", disse Rêgo Barros, em conversa com jornalistas na no início da noite desta segunda-feira (22).

O porta-voz afirmou que o presidente não comentou o fato de o governador Rui Costa (PT) ter cancelado sua participação no evento. Em vídeo publicado nas redes sociais nesta tarde, o petista disse que convidou o Governo Federal por "boa educação", mas  "infelizmente, confundiram a boa educação com covardia, e desde então, temos presenciado agressões ao povo do Nordeste e ao povo da Bahia", escreveu. 

Leia também: Público reage a comentário de Bolsonaro com frases exaltando Nordeste

Na última sexta, Bolsonaro foi flagrado fazendo declarações controversas sobre governadores do Nordeste e virou alvo de críticas. “A medida anunciada é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo como se fosse uma convenção político-partidária. Não posso concordar com isso”, acrescentou Rui Costa.

Ao ser questionado duas vezes se partiu do Planalto que a inauguração fosse restrita - e não aberta ao público, Rêgo Barros não respondeu. Disse apenas que o Gabinete de Segurança Institucional ( GSI ) não avaliou riscos na viagem.

Leia também: Bolsonaro em vazamento: "Dos governadores de 'paraíba', o pior é o do Maranhão"

"Não temos informações de eventuais protestos. O GSI trabalha com perfis e análise de risco, mas não foi dado ao  Bolsonaro  qualquer dificuldade neste sentido. O presidente, por certo, sentir-se-á muitíssimo bem recebido na região de Vitória da Conquista", repetiu.