Plenário do Conselho de Segurança da ONU
Reprodução
Plenário do Conselho de Segurança da ONU

Dezenas de diplomatas boicotaram dois discursos do ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, em painéis da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta terça-feira. O Brasil não fez parte do grupo

Vídeos do momento mostram que o representante brasileiro se manteve no plenário, assim como os representantes da Venezuela, Iêmen, Argélia, Síria, Tunísia e China.

O Brasil não costuma tomar lados em conflitos, posição que tem sido reforçada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em seus discursos.  Por outro lado, o chefe do Executivo nacional reforça a importante relação comercial que o Brasil tem com a Rússia e o apoio que recebeu do  presidente russo Vladimir Putin quanto à soberania do Brasil na Amazônia.

Em meio a isso, o embaixador brasileiro na ONU, Ronaldo Costa Filho, apoiou  a resolução que condenava a invasão russa.

Leia Também

No caso mais recente, os discursos de Lavrov foram gravados e depois transmitidos em Genebra. Segundo a Folha de S. Paulo, o primeiro ocorreu na Conferência sobre Desarmamento, e o segundo, no Conselho de Direitos Humanos.

Lavrov falou sobre o plano da Ucrânia de adquirir armas nucleares, o que classificou como um perigo para a segurança internacional, especialmente para os países envios. Esse argumento é visto por opositores da Rússia como uma desculpa para a guerra.

O motivo declarado é o interesse do governo ucraniano em integrar a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), aliança militar do Ocidente.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários