Bolsonaro em viagem à Rússia
Alan Santos/PR
Bolsonaro em viagem à Rússia

Enquanto a guerra avança na Ucrânia, cerca de 50  brasileiros foram retirados do país com apoio do Ministério das Relações Exteriores. O número foi divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) na tarde deste sábado (26), no Twitter.


Segundo ele, o grupo resgatado inclui jornalistas, estudantes, empresários e atletas. Eles foram levados para países vizinhos.


"Também coloquei meus ministros, assessores e a diplomacia brasileira a serviço da evacuação de brasileiros por vias terrestres", declarou Bolsonaro.


Além disso, o presidente afirma ter ordenado que duas aeronaves Embraer KC-390 Millenium, apontadas por ele como as maiores já produzidas no hemisfério Sul, fossem disponibilizadas para "uma  eventual missão de repatriação dos brasileiros que ainda estão em território ucraniano". Na sexta (25), o Itamaraty estimou que 500 brasileiros viviam na Ucrânia.


Leia Também


"Mesmo diante de um cenário difícil, reforçamos: ninguém será deixado para trás. Peço aos brasileiros em territórios conflagrados que mantenham-se firmes, sigam as diretrizes e nos reportem qualquer incidente. Sei das dificuldades, mas não pouparemos esforços para resolvê-las", frisou o presidente.


Segundo Bolsonaro, o Itamaraty enviou uma missão para a fronteira da Ucrânia com a Romênia e tem coordenado uma operação de evacuação dos brasileiros, mantendo contato direto com o chefe da estação central de trens de Kiev, as autoridades migratórias e as autoridades locais de Chernivtsi.

Guerra na Ucrânia

território ucraniano é bombardeado pela Rússia desde quinta-feira (24). O presidente russo, Vladimir Putin, deflagrou a guerra por não aceitar o interesse da Ucrânia em entrar para a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), aliança militar do Ocidente.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários