NASA
Caltech/R. Hurt
NASA divulgações novas informações do KOI-5Ab, descoberto ainda em 2009

Em 2009, a NASA deu início ao projeto que ficou conhecido como Kepler e colocou no espaço uma sonda que teria a missão de encontrar planetas com características habitáveis fora do Sistema Solar ao longo dos próximos nove anos. Um dos primeiros a ser encontrado foi o KOI-5Ab, que tinha metade do tamanho de Saturno e orbitava um sistema com múltiplas estrelas.

Agora, 12 anos após o "contato inicial" e tendo sido deixado de lado por conta da grande quantidade de candidatos identificados pela sonda, o  KOI-5Ab voltou a ganhar os holofotes no início desta semana, quando os pesquisadores divulgaram novas e interessantes informações sobre sua estrutura e o sistema em que orbita durante evento virtual da Sociedade Americana de Astronomia.

"O KOI-5Ab acabou sendo abandonado porque ele era bastante complicado de ser estudado e nós acabamos nos deparando com outros milhares de candidatos.Como nós aprendíamos coisas novas com a Kepler  todos os dias, ele foi, basicamente, esquecido", afirmou David Ciardi, chefe da equipe do Instituto de Ciências de Exoplanetas da NASA .

Graças aos esforços de observação da segunda missão de ' caça aos planetas ' da NASA, conhecida como TESS , em parceria com diversos telescópios terrestres, Ciardi revela que os pesquisadores puderam desvendar uma série de mistérios envolvendo o  KOI-5Ab que trouxeram detalhes intrigantes sobre sua existência: "trouxemos ele de volta dos mortos".

Sistema de três estrelas

Estrelas
Caltech/R. Hurt
Obtenção dos dados só possível com a sinergia entre as pesquisas feitas no espaço e na Terra

Parecido com um gigante gasoso como Júpiter e Saturno devido ao seu tamanho, o KOI-5Ab é o primeiro exoplaneta identificado pela NASA em um sistema composto por três estrelas: aquela à qual ele orbita e outras duas, que "circulam" em órbitas mais espaçadas. 

Você viu?

"Não conhecemos muitos planetas que existem em sistemas de estrelas triplas , e esse é ainda mais especial por conta da órbita 'enviesada'. Ainda temos muitas questões que precisam ser respondidade sobre como um planeta consegue se formar em sistema de múltiplas estrelas e como suas propriedades são comparáveis aos de sistemas de apenas uma estrela, como é o caso do Sistema Solar. Assim, poderemos descobrir como o universo cria os planetas", disse Ciardi.

Os estudos mostraram que o KOI-5Ab circula uma estrela, a KOI-5A , em um movimento que dura 5 dias. Além desta primeira, ele também está na "rota" de uma segunda, que recebeu o nome de  KOI-5B e completa uma volta ao redor da companheira a cada 30 anos. Por fim, em uma órbita mais externa e que leva 400 anos para completar uma volta em torno das duas primeira, aparece a KOI-5C .

Os dados combinados da Kepler com a TESS auxiliaram também na identificação da órbita " enviesada ", mostrando que ela não alinhada à KOI-5B, algo que seria esperado se todos os integrantes do sistema tivessem surgido do mesmo material. Os pesquisadores ainda não sabem dizer o que causou tal desalinhamento, mas acreditam que o campo gravitacional da KOI-5B possa ter "empurrado" o planeta para longe ao longo de sua formação .

"Esse tipo de resultado enfatiza a importância da sinergia entre os dados obtidos pelos telescópios e sondas espaciais com os equipamentos de solo. Descobertas como essas nos mostram que ainda temos um longo caminho a percorrer na busca para entender o universo", afirmou Jessie Dotson, uma das integrantes do projeto Kepler .

Agora, com tais informações, os cientistas da NASA pretendem expandir o campo de análise dos exoplanetas identificados pelo projeto. Ao todo, foram 2.394 descobertas ao longo dos nove anos de pesquisa, além de outros 2.366 candidatos que ainda aguardam mais dados para receberem o título. E é exatamente de parcerias como a utilizada para confirmar a existência do  KOI-5Ab que eles precisam.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários