Tamanho do texto

Kepler estava hibernando há quatro semanas em uma tentativa de economizar o combustível do telescópio, que está prestes a acabar

A missão do telescópio Kepler foi lançada em março de 2009 com o objetivo de descobrir novos planetas
Nasa
A missão do telescópio Kepler foi lançada em março de 2009 com o objetivo de descobrir novos planetas

O telescópio Kepler, responsável por diversas descobertas astronômicas, “acordou” de seu estado de hibernação na última quinta-feira (2). Segundo a Scientific American, ele estava “dormindo” há quatro semanas para economizar seu combustível, que tem apresentado baixos níveis nos últimos meses.

Leia também: Humanos explodem no espaço? Há duas luas em agosto? Conheça 8 mitos astronômicos

A Nasa confirmou na sexta-feira (3) que o telescópio Kepler não só saiu do estado de hibernação, mas também já voltou a enviar informações à Terra, exatamente como planejado pelos cientistas da agência espacial, que queriam garantir que o aparelho tivesse como alinhar sua antena com o nosso planeta para transferir o material coletado.

A Missão Kepler foi iniciada em março de 2009 com o objetivo de estudar os planetas da Via Láctea que possuem características parecidas com as da Terra. Desde então, o projeto de 600 milhões de dólares, aproximadamente R$ 2 bilhões, já analisou mais de 150 mil estrelas e descobriu mais de 2,3 mil exoplanetas.

Depois de apresentar alguns problemas em maio de 2013, o telescópio voltou à ativa em 2014 com a missão K2. Por mais que a Nasa acreditasse que o Kepler só conseguiria finalizar 10 campanhas durante a K2, foram realizadas 18, sendo de 80 dias cada, e a campanha de número 19 poderá ser iniciada nesta segunda-feira (6), caso haja combustível o suficiente.

Telescópio Kepler descobre 10 planetas que podem ter água

O Telescópio Kepler identificou 219 candidatos a novos planetas em junho de 2017, como divulgado pela Nasa
Nasa/JPL-Caltech
O Telescópio Kepler identificou 219 candidatos a novos planetas em junho de 2017, como divulgado pela Nasa


As últimas descobertas de Kepler aconteceram em junho do ano passado, quando a agência espacial americana anunciou ter encontrado  219 candidatos a novos planetas . Dez dos novos astros têm tamanhos similares ao da Terra e orbitam a uma distância considerada 'habitável' de suas estrelas, que é quando a temperatura do planeta teoricamente permite a existência de água em estado líquido.

De acordo com os pesquisadores responsáveis, o catálogo de candidatos a novos exoplanetas (planetas fora do nosso Sistema Solar) consiste no mais detalhado já divulgado pela agência. Esse foi o relatório final de um estudo de quatro anos de observação da constelação Cygnus (Cisne).

Leia também: Cientistas encontram evidências de água em Marte em espécie de lago subterrâneo

Com a divulgação dos possíveis novos planetas, a relação completa de astros nessa categoria já conta com 4.034 candidatos identificados pelo telescópio Kepler . Destes, 2.335 estão fora nosso Sistema Solar e 50 deles preenchem os quesitos primários para abrigar vida – sendo que 30 deles foram confirmados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.