Navio à deriva com mais de 1 mil a bordo é rebocado por barco de pesca

Helicóptero leva mantimentos e equipamentos de comunicação para cruzeiro italiano atingido por incêndio no Oceano Índico

iG São Paulo |

Um barco de pesca francês começou nesta terça-feira a rebocar o cruzeiro italiano Costa Allegra, que ficou à deriva no Oceano Índico após um incêndio . Enquanto isso, um helicóptero decolou da ilha de Mahè, em Seychelles, para levar mantimentos e equipamentos de comunicação para o navio, que tem 643 passageiros e 413 tripulantes a bordo.

A expectativa é de que o cruzeiro chegue à ilah de Mahè, a maior das Seychelles, na quinta-feira. Inicialmente o plano era levar os passageiros e tripulantes à ilha de Desroches e depois para Mahè, mas a decisão foi alterada nesta terça-feira por "questões logísticas".

Leia também: Cruzeiro italiano pega fogo e fica à deriva no Oceano Índico

AP
Barco francês (dir) reboca o cruzeiro Costa Allegra, atingido por incêndio no Oceano Índico

O navio ficou à deriva na segunda-feira, após um incêndio rapidamente controlado ter deixado o navio sem energia e feito com que o motor parasse de funcionar. O governo da Itália providenciou o envio de mais três navios e um barco pesqueiro para auxiliar no resgate.

Segundo a guarda costeira italiana, o Costa Allegra está sem ar-condicionado, a cozinha não funciona e o gerador de emergência para o rádio de bordo poderia perder sua capacidade a qualquer momento.

A Costa Cruzeiros, empresa operadora do navio, afirmou que as condições da embarcação são estáveis e seguras e que nenhum passageiro está ferido.

A operadora é a mesma do navio Costa Concordia, que naufragou na costa italiana em janeiro , provocando a morte de 32 pessoas.

A Costa disse já ter entrado em contado com dois terços das famílias dos passageiros e afirmou ter colocado um telefone de emergência à disposição de familiares.

O navio está em um local considerado perigoso por conta da atuação de piratas somalis. Mas uma porta-voz do governo de Seicheles afirmou à BBC que os ataques a embarcações na região caíram no ano passado e que a segurança aumentou.

O navio conta com nove guardas armados a bordo, e outros seguranças estariam na traineira francesa. Um avião do governo de Seicheles também estaria fazendo sobrevoos para patrulha aérea. Os piratas da região nunca atacaram um navio de cruzeiro.

O Costa Allegra havia saído no sábado de Madagascar e deveria chegar em Seicheles no sábado. O itinerário do cruzeiro incluía também Alexandria, no Egito, e Nápoles, na Itália.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: itáliacruzeirocosta aleggracosta concordia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG