Chocados, cidadãos dinamarqueses deixam flores nos locais dos atentados

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

"É muito triste, não estamos acostumados com algo assim na Dinamarca", disse um cidadão local

Agência Brasil

Abalados com os ataques deste fim de semana, cidadãos de Copenhague deixaram durante todo o dia flores e velas na porta dos locais dos atentados
Agência Brasil
Abalados com os ataques deste fim de semana, cidadãos de Copenhague deixaram durante todo o dia flores e velas na porta dos locais dos atentados

Visivelmente abalados com os ataques deste fim de semana, cidadãos de Copenhague deixaram durante todo o dia de hoje (15) flores e velas na porta dos locais dos atentados. “É muito triste. Não estamos acostumados com algo assim na Dinamarca”, disse Soren Stenboeg, enquanto acendia uma vela na porta da sinagoga onde um segurança foi morto nas primeiras horas da madrugada.

Hadi Hsan, que é moradora da região, no noroeste da capital dinamarquesa, disse não ter palavras para descrever o medo que sente. “Está cada vez mais perto da gente. Não tenho palavras”, afirmou, emocionada.

Protesto contra terrorismo levou milhares às ruas de Copenhague, na Dinamarca, na noite desta segunda-feira (16). Foto: APProtesto contra terrorismo levou milhares às ruas de Copenhague, na Dinamarca, na noite desta segunda-feira (16). Foto: APProtesto contra terrorismo levou milhares às ruas de Copenhague, na Dinamarca, na noite desta segunda-feira (16). Foto: APA primeira-ministra da Dinamarca, Helle Thorning-Schmidt, durante ato na capital. Foto: APProtesto contra terrorismo levou milhares às ruas de Copenhague, na Dinamarca, na noite desta segunda-feira (16). Foto: APPoliciais investigam cena do crime que ocorreu em Copenhagen, Dinamarca. Polícia atingiu e matou suspeito de ter disparado ontem contra um evento sobre liberdade de expressão. Foto: APMovimentação de viaturas na rua que abriga a maior sinagoga de Copenhague, onde três foram baleados neste domingo (15). Foto: Steen A. Jørgenssen/ReproduçãoImagem mostra suspeito de ataque a café durante um ato por liberdade de experessão, neste sábado (14), em Copenhague. Foto: APPolicial armado corre perto da rua onde houve um ataque terrorista em um evento chamado "Arte, blasfêmia e e liberdade de expressão", em Copenhagen, na Dinamarca. Foto: APServiços de emergência se reúnem fora do local onde os tiros foram disparados. Foto: APMídia dinamarquesa informa que os disparos foram contra um café em Copenhagen, onde estava acontecendo o evento "Arte, blasfêmia e liberdade de expressão", organizado pelo artista sueco Lars Vilks, que tem enfrentado ameaças por fazer caricaturas do profeta Maomé, em 2007. Foto: APForças de segurança patrulham o local em que os disparos foram feitos, em Copenhagen. Foto: APEm foto de arquivo, de 3 de janeiro de 2013, o artista sueco Lars Vilks posa para uma fotografia em Nyhamnsläge, Suécia. Tiros foram disparados neste sábado, 14, em um café em Copenhague que estava sediando um evento sobre liberdade de expressão, organizado pelo artista. Ele tem recebido inúmeras ameaças por fazer caricaturas do profeta Maomé. Foto: AP

A primeira-ministra da Dinamarca, Helle Thorning-Schmidt, visitou a sinagoga de Krystalgade e manifestou sua solidariedade para com a comunidade judaica.

“Estamos devastados hoje. Um homem perdeu a vida a serviço dessa sinagoga. Nossos pensamentos vão para a sua família. Nossos pensamentos vão para toda a comunidade judaica. Eles pertencem à Dinamarca, eles são uma parte forte de nossa comunidade. Vamos fazer tudo que pudermos para proteger a comunidade judaica em nosso país”, disse ela.

Leia também: Ban Ki-moon condena ataques em Copenhague

O primeiro atentado aconteceu por volta de 15h30 (12h30 no Brasil) de sábado, quando um homem armado invadiu um café na região de Osterbro, no noroeste da cidade, e disparou contra os participantes de um evento sobre liberdade de expressão. O diretor de cinema Finn Norgaard, de 55 anos, morreu na hora. Três policiais ficaram feridos.

Horas depois, por volta de 1h de domingo (22h de sábado no Brasil), disparos feitos nas proximidades da principal sinagoga de Copenhague resultaram na morte do segurança Dan Uzan, de 37 anos. Dois policiais ficaram feridos, mas não correm risco de morte.

Leia mais: Polícia diz que atirador estava no radar do serviço de inteligência

O suposto autor dos ataques foi morto por volta de cinco horas da manhã de hoje, após disparar contra a polícia no distrito de Norrebro.

 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas