Astrônomos descobrem três novos planetas potencialmente habitáveis

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Nova análise da estrela Gliese 667C revelou três planetas em uma região onde possa existir água em forma líquida

ESO/M. Kornmesser
Ilustração mostra como seria exoplaneta Gliese 667Cd

Uma equipe de astrônomos do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile, descobriu um novo sistema na constelação Escorpião com três planetas considerados super-Terras, que orbitam a estrela numa região onde a água pode existir em forma líquida. A característica torna estes planetas bons candidatos à presença de vida.

Leia mais: Nasa anuncia descoberta de planetas 'habitáveis'

A descoberta foi fruto da combinação de novas observações de Gliese 667C, já muito estuda pelos astrônomos, com dados obtidos anteriormente pelo instrumento HARPS. 

Estudos anteriores de Gliese 667C descobriram que a estrela era orbitada por três planetas situando-se um deles na zona habitável. Com a nova análise de dados, a equipe encontrou provas da existência de até sete planetas em torno da estrela.

A estrela Gliese 667C, com cerca de um terço da massa do Sol, faz parte de um sistema estelar triplo conhecido como Gliese 667 (também referido como GJ 667), situado a 22 anos-luz de distância na constelação do Escorpião. A estrela está, em termos astronômicos, muito perto do sistema solar.

Leia também:
Astrônomos põem em xeque descoberta de planeta parecido com a Terra
Cientistas dizem que proximidade com o Sol cria dois tipos de planetas rochosos
Cientista propõe novas alternativas para encontrar vida extraterrestre

Estes planetas orbitam a terceira estrela mais tênue do sistema estelar triplo. Os outros dois sóis seriam visíveis como um par de estrelas muito brilhantes durante o dia e durante a noite dariam tanta luz como a Lua Cheia. Os novos planetas descobertos preenchem por completo a zona habitável de Gliese 667C, uma vez que não existem mais órbitas estáveis onde um planeta poderia existir à distância certa.

“Sabíamos, a partir de estudos anteriores, que esta estrela tinha três planetas e por isso queríamos descobrir se haveria mais algum”, diz Tuomi em um comunicado. “Ao juntar algumas observações novas e analisando outra vez dados já existentes, conseguimos confirmar a existência desses três e descobrir mais alguns. Encontrar três planetas de pequena massa na zona habitável de uma estrela é algo muito excitante!”.

Três destes planetas são super-Terras - planetas com mais massa do que a Terra, mas com menos massa do que Urano ou Netuno - que se encontram na zona habitável da estrela, uma fina concha em torno da estrela onde a água líquida pode estar presente, se estiverem reunidas as condições certas. Esta é a primeira vez que três planetas deste tipo são descobertos nesta zona num mesmo sistema.

“O número de planetas potencialmente habitáveis na nossa galáxia é muito maior se esperarmos encontrar vários em torno de cada estrela de pequena massa - em vez de observarmos dez estrelas à procura de um único planeta potencialmente habitável, podemos agora olhar para uma só estrela e encontrar vários planetas”, acrescenta o co-autor Rory Barnes (Universidade de Washington, EUA).

Veja mais imagens do espaço:

Imagem, obtida com o Very Large Telescope do ESO, mostra a galáxia NGC 1187. Foto: ESOO brilho intenso da Nebulosa da Gaivota é causado pela radiação de uma estrela jovem e quente situada no centro da galáxia. Foto: ESOImagem de Saturno feita pela sonda Cassini. Pesquisa seguirá até ao menos 2017. Foto: NasaTelescópio ALMA, no deserto do Atacama (chile) capta estrutura em espiral ao redor da estrela R Sculptoris. Foto: ESO/Joseph DePasqualeIlustração mostra o material ejetado do buraco negro no quasar SDSS J1106+1939. Foto: ESO/L. CalçadaImagens de buracos negros na galáxia espiral IC 342 são mais vivas que de outros com tamanhos semelhantes
. Foto: NASA/JPL-Caltech/DSSSupernova Cassiopeia A, cuja imagem foi captada pelo NuSTAR, fica a 11 mil anos-luz da Terra
. Foto: NASA/JPL-Caltech/DSSNova imagem mostra a beleza das nuvens de poeira cósmica na região de Orion. Foto: ESOMenina de 12 anos manda boneca Hello Kitty para a estratosfera. Foto: tvigImagem do furacão gigante no Polo Norte de Saturno foi captada pela sonda Cassini. A foto foi colorida em computador. Foto: AP Photo/NASA/JPL-Caltech/SSI 'Fita' retorcida de gás frio e poeira na Via Láctea, com mais de 600 anos-luz de comprimento. Foto: ESA/NASA/JPL-Caltech/Hi-GAL Acima, o RCW 120, uma bolha de gás e poeira no espaço, em volta de uma grande estrela. Foto: ESA/SPIRE/PACS/HOBYS Galáxia de Andrômeda vista por dois telescópios: Herschel (em laranja) e Newton XMM (em azul). Foto: ESA/SPIRE/PACS/HELGA/EPIC/OMConstelação de Serpente vista pelos detectores infravermelhos do telescópio Herschel. Foto: ESA/Herschel/PACS/SPIRE/HOBYS ConsortiumVista infravermelha das nuvens de gás e poeira da constelação do Cisne, invisível a telescópios óticos. Foto: ESA/Herschel/PACS/SPIRE/HOBYS ConsortiumA nebulosa Laço de Cisne – resto de uma supernova  - que ocupa o três vezes o tamanho da lua cheia no céu. A nebulosa fica a 1500 anos luz da Terra.. Foto: NasaRiachos de água esverdeada correm pelo plataforma de gelo de Amery, na Antártida, nesta foto de satelite tirada em fevereiro. Foto: NASA/ESAO sistema estelar Eta Carinae se mostra com sue formato inusitado nessa imagem do telescópio Hubble.. Foto: NASA/ESAOs cosmonautas Oleg Kononenko e Anton Shkaplerov fazem uma caminhada espacial para manutenção da ISS em 16/02/2012. Foto: NASA/ESAEsta vista de cima do robô Opportunity mostra o equipamento coberto de poeira marciana. Foto: NASA/ESAUm filamento solar "escapa" do polo norte do Sol. nesta imagem ultravioleta . Foto: NASA/ESAEstrelas jovens são vistas na nebulosa de Órion. Foto: NASA/ESAVista detalhada do cluster de estrelas Messier 9, que fica a 25 mil anos-luz da Terra. Foto: NASA/ESAO cânion Ius Chasma, em Marte, tem 940 quilômetros de extensão. Foto: NASA/ESAFoto aérea, tirada pela ISS, mostra como a agricultura chegou ao norte do deserto da Árabia Saudita. Foto: NASA/ESAFoto de um astronauta da ISS mostra as luzes na região mediterrânea da Europa . Foto: NASA/ESALuzes de Dubai, pelo ponto de vista da Estação Espacial Internacional (ISS). Foto: NASA/ESARedemoinhos em Marte como o da foto podem ter até 10 km de altura. Foto: NASA/ESAO braço robótico e paineis solares da ISS se confundem com as luzes da Europa nesta foto tirada pela tripulação da estação. Foto: NASA/ESACrateras na região de Syrtis Major, que fica perto do equador de Marte . Foto: NASA/ESAA nebulosa NGC 3324 tem um formato peculiar, que segundo alguns, lembra o perfil da poeta chilena Gabriela Mistral. Foto: NASA/ESAAs diferentes cores da cratera Toro, em Marte, mostram a diversidade de minerais no solo do planeta. Foto: NASA/ESAEsta nova imagem do Hubble mostra uma reflexão da Via Láctea, a galáxia onde fica a Terra . Foto: NASA/ESANova imagem da lua Dione, feita pela sonda Cassini. Ela é uma das luas de Saturno. Foto: NASA/ESAO círculo no canto esquerdo inferior marca o ponto onde o jipe-robô Spirit chegou em Marte, em 2004. Foto: NASA/ESAUma tênue mancha vermelha no canto superior direito ajudou cientistas a identificar uma galáxia anã, a NGC 4449. Foto: NASA/ESAEsta imagem infravermelha é a mais detalhada já feita da Nebulosa Carina. Foto: NASA/ESAEsta erupção solar foi observada pela Nasa em janeiro de 2012. Foto: NASA/ESAOutra imagem da sonda Cassini mostra as luas Titãs e Reia, de Saturno, quase sobrepostas. Foto: NASA/ESAVista da cratera Kuiper, em Mercúrio, tirada pela sonda Messenger . Foto: NASA/ESAEstrelas se formam dentro da Nuvem Molecular de Touro, que parece uma cicatriz cortando o céu . Foto: NASA/ESALançamento do foguete Vega, da Agência Espacial Europeia, em fevereiro de 2012, na Guiana Francesa. Foto: NASA/ESA


Leia tudo sobre: espaçoexoplanetasplanetas habitáveis

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas