Janeiro de 2014 foi o mais quente já registrado pelo Inmet na capital paulista, desde o início das medições realizada no Mirante de Santana, em 1943

Desde a metade do mês de janeiro, a capital paulista já registrava o começo de ano mais quente desde o início dos registros de temperatura realizados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) no Mirante de Santana, na zona norte da cidade. Com a sequencia do calor e a pouca chuva dos últimos dias, o recorde histórico de calor dos últimos 71 anos foi confirmado.

Mais: Sistema que abastece São Paulo atinge menor nível em 39 anos

A média de 31,9ºC de temperatura máxima registrada durante os 31 primeiros dias do ano coloca janeiro de 2014 como o mais quente deste 1943. Este valor está 4,5°C acima da média de máxima de referência para janeiro, que é de 27,3°C, e superou a média das temperaturas máximas de fevereiro de 1984, (31,8º) até então o mês mais quente já observado na cidade.

A temperatura máxima registrada no Mirante de Santana hoje foi de 34,5°C. O recorde atual de maior temperatura de 2014 é de 35,4°C registrado no dia 3 de janeiro, que está entre as 10 temperaturas mais altas no Mirante. Apenas cinco dias do mês tiveram máxima abaixo de 30ºC. Em 2013, a maior temperatura foi de 34,5°C no dia 11 de novembro.

De acordo com o meteorologista do Inmet Franco Vilela, entre os fatores que explicam essa condição, está a falta de ventos que trazem umidade da Amazônia. “A relação entre calor e umidade provoca as chuvas”, apontou. A ausência de frentes frias e alta pressão do oceano, que se estendeu de forma excepcional para o continente, também contribuíram para um mês com elevadas temperaturas.

Calor continua em fevereiro

E o calor deve continuar nos próximos dias. O primeiro final de semana de fevereiro já começa com pouca chuva no Estado. No domingo (02) o sistema de alta pressão, que atua sobre a região Sudeste, se desloca ligeiramente e permite que um pouco de umidade entre na faixa leste de São Paulo. Por causa do calor e da umidade disponível no ar, algumas nuvens conseguem se formam e até provocam pandas rápidas em alguns pontos isolados da capital e da região metropolitana. Porém, nas áreas que não receberem chuva, o ar ainda vai ficar seco e poluído. Os termômetros batem os 34°C no sábado e no domingo.

Segundo a meteorologista da Climatempo, Josélia Pegorim, a previsão é de que toda a região metropolitana de São Paulo continue com tempo muito quente e com pouca chuva pelo menos por mais 10 dias.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.