Mapa da Violência mostra que uma mulher é morta cada duas horas

Para especialista, casos de impunidade como o de Pimenta Neves contribuem para violência contra as mulheres

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Uma mulher é assassinada a cada duas horas no Brasil mostra o Mapa da Violência de 2010. Entre 1997 e 2007 foram 41.532 mulheres assassinadas, a maior parte por homens com idade entre 20 e 55 anos. Para a diretora executiva do Instituto Patrícia Galvão, Jacira Melo, casos de impunidade como o do assassinato de Sandra Gomide são um dos fatores que mais contribuem para o aumento da violência contra as mulheres.

"Infelizmente casos como este acabam servindo de exemplo para as novas gerações. O Pimenta Neves tem a convicção de que cometeu um crime mas que a maior culpada foi a Sandra. Na verdade ele não foi punido pela Justiça, pela sociedade nem por ele próprio", disse ela.

Iniciativas como a Lei Maria da Penha, que transforma a agressão à mulher em crime inafiançável, ou a criação do Disque Denúncia pela Secretaria Nacional da Mulher, são louváveis, mas estão longe de resolver o problema.

"A Lei Maria da Penha só faz cumprir o que já estava na legislação. A solução é a reformulação do Código Penal", disse Jacira.

Os números do Disque Denúncia federal revelam a extensão do problema. Em 2006, quando o serviço foi criado, foram registradas 46 mil chamadas. Em 2009 o número subiu para 401 mil. No primeiro semestre de 2010 já foram 145 mil denúncias.

"O caso do Pimenta Neves não é uma exceção. Desde que a pessoa tenha recursos para pagar um bom advogado dificilmente vai para a cadeia. Os únicos que pagam a pena são aqueles que não têm dinheiro para gastar com a defesa", afirmou Jacira.

    Leia tudo sobre: pimenta nevessandra gomideassassinatoprisão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG