Família diz que jovem queimado delatou bandidos no Espírito Santo

Segundo a polícia, ele teria participado de um assalto e não aceitou dividir o dinheiro com comparsas

AE |

selo

A família do jovem de 16 anos, que teve o corpo incendiado por um grupo de adolescentes na quinta-feira (8), no noroeste do Espírito Santo, não acredita na motivação do crime. Segundo a Polícia Civil, o garoto teria participado de assalto a um posto de gasolina no bairro Santa Mônica, no município de Baixo Guandu, mas não aceitou dividir com os comparsas a quantia roubada, R$ 700,00. Para a avó da vítima, o rapaz teria "dedurado" os assaltantes e, por isso, foi torturado.

O jovem morreu na noite da segunda-feira (12), após ficar internado no Hospital Dório Silva, referência no tratamento de queimados no Estado. O corpo foi velado em uma igreja de Vila Kennedy, em Baixo Guandu, e enterrado no cemitério da cidade, ontem pela manhã.

O crime aconteceu no bairro Santa Mônica. De acordo com a Polícia Militar, os "comparsas" amarraram a vítima e jogaram gasolina no corpo do jovem. Em seguida, atearam fogo no rapaz, que conseguiu fugir e pedir socorro aos moradores da região. Ele foi levado ao hospital João Santos Neves mas, devido ao seu estado grave, foi transferido para o hospital Dório Silva, na Serra, Grande Vitória. Ainda segundo a polícia, sabe-se que os envolvidos são moradores do mesmo bairro. Os suspeitos continuam foragidos.

    Leia tudo sobre: assaltomorte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG