Jair Bolsonaro
Reprodução
Jair Bolsonaro



Em um discurso baseado na defesa do tratamento precoce contra a Covid-19 , que não tem eficácia comprovada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) também aceitou sugestões do seu filho Eduardo Bolsonaro, deputado federal (PSL-SP). A informação é do jornal "O Globo". O parlamentar sugeriu a inclusão de termos relacionados à religião e de críticas ao socialismo.

Ainda segundo a publicação, muitas palavras escolhidas por Bolsonaro foram alinhadas com o Itamaraty. O presidente, no entanto, não abriu mão de fazer uma defesa veemente do tratamento precoce no combate ao coronavírus, inclusive, disse que se "curou" por meio de medicação (cloroquina).






Repercussão

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursava na tribuna da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) , na manhã desta terça-feira (21), - e dava início a sessão, como tradição dos representantes brasileiros -  as primeiras repercussões sobre o posicionamento do mandatário já surgiram nas redes sociais. Durante sua participação entre os líderes mundiais, o capitão do Exército voltou a defender o uso de 'tratamento precoce' contra a Covid-19.

O ex-ministro da Saúde de Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta, expressou sua insatisfação com o discurso de seu ex-chefe e declarou que a fala do presidente foi "cínica".

Já O deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) rebateu a fala de Bolsonaro e apontou supostos escândalos de corrupção do mandato do presidente da República. A fala ainda gerou crítica de jornalistas e foi alvo de memes


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários