Augusto Aras
Pedro França/Agência Senado
Augusto Aras



A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou a indicação do procurador-geral da República, Augusto Aras, para recondução ao cargo, com 21 votos favoráveis, 6 contrários e nenhuma abstenção. A indicação vai ao Plenário.

Sabatina

O procurador-geral da República, Augusto Aras, abriu sua sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), nesta terça-feira (24), querendo se livrar de acusações de que tem se alinhado a Jair Bolsonaro e  sido omisso ao não adotar providências contra o presidente da República

Inclusive, Aras comentou sobre as prisões do  deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) e do  ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB - ambos bolsonaristas. De acordo com o procurador-geral da República, houve ameaças reais a ministros do STF

Você viu?

"No momento posterior, da prisão, tanto do Daniel Silveira, quanto do Roberto Jefferson, houve ameaças reais aos ministros do Supremo. De maneira que, se no primeiro momento, a liberdade de expressão era o bem jurídico constitucional tutelado mais poderoso que existe dentro da Constituição, no segundo momento abandonou-se a ideia da liberdade de expressão para configurar uma grave ameaça", disse o procurador.

Possível blindagem a Bolsonaro 

Ao responder as primeiras perguntas do relator, Eduardo Braga (MD-AM), ele alegou que tomou uma série de decisões que não foram necessariamente conforme a vontade do governo, mas de acordo com a Constituição. O procurador-geral disse que se manifestou a favor da obrigatoriedade das vacinas, pela constitucionalidade do inquérito das fake news, pela instauração de investigação dos atos antidemocráticos e pela permanência de diplomatas venezuelanos no Brasil. 


"Fui contra a privatização total dos serviços postais e a favor da inconstitucionalidade da jornada de 12 horas por 36 mediante acordo. Este PGR discordou em 30% dos pedidos de liminares oriundos do governo federal e em 80% das suas manifestações em matéria de covid e teve 80% de suas manifestações acolhidas pelo Supremo Tribunal Federal", acrescentou. 



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários