Tamanho do texto

Editor do The Intercept Brasil disse ser "nova e verdadeira" a informação de que 'Vermelho' entregou mensagens de modo anônimo e sem pagamento

glenn greenwald arrow-options
Edilson Rodrigues/Agência Senado - 11.7.19
Jornalista americano Glenn Greenwald durante sabatina no Senado para explicar 'Vaza Jato'

O jornalista americano Glenn Greenwald, responsável pelo site The Intercept Brasil , disse ser "nova e verdadeira" informação prestada por Walter Delgatti, o 'Vermelho', à Polícia Federal. Um dos hackers presos na Operação Spoofing, Walter disse aos investigadores que entregou mensagens da Lava Jato ao Intercept de forma anônima e sem receber pagamento.

Glenn Greenwald publicou uma série de mensagens em sua conta pessoal no Twitter comentando a afirmação do 'Vermelho' na tarde desta quinta-feira (25). O jornalista destacou como o "mais importante" do depoimento do hacker o fato de ele ter dito que seus contatos com Glenn se deram apenas por meio do Telegram e ocorreram somente depois que os  ataques ao ministro Sergio Moro e a outras autoridades já tinham sido efetuados.

Apesar desses destaques, o jornalista do Intercet  pontuou: "Para ser claro, não estou afirmando que a pessoa acusada pela PF é de fato nossa fonte. Nós não comentamos sobre nossas fontes. Eu estou apenas destacando o que a pessoa que PF e Folha disseram ser a nossa suposta fonte".

A negativa de Glenn foi reforçada momentos mais tarde, em resposta ao jornalista britânico Dom Phillips. "Não estamos comentando se o suspeito é a nossa fonte, mas sim que tudo o que foi dito pela pessoa acusada pela Polícia Federal – apesar da enorme pressão em nos acusar – é o mesmo que temos dito desde o início", escreveu.

O site The Intercept Brasil passou a publicar, desde o dia 9 do mês passado, uma série de reportagens baseadas em conversas mantidas entre procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato e o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro.

Mais cedo, outro editor do site, Leandro Demori, disse que as investigações que levaram quatro hackers a serem presos no interior de São Paulo não têm relação com as reportagens publicadas. "Moro já está cheio de conclusões, mesmo que o material enviado ao Intercept por fonte anônima nada tenha a ver com o suposto hacking de seu telefone, como escrevemos no primeiro dia da Vaza Jato", disse.

Demori e Glenn Greenwald prometeram ainda publicar novas reportagens da chamada ' Vaza Jato ' em resposta às investigações da Operação Spoofing. "Estamos trabalhando com muitas mais reportagens, inclusive com parceiras. Esta será a nossa resposta primária e definitiva às novas táticas de ontem", disse Glenn.

Os suspeitos presos na Operação Spoofing (Walter Delgatti Neto, Gustavo Henrique Elias Santos, Suelen Priscila Santos e Danilo Cristiano Marques) devem prestar ainda novo depoimento à Polícia Federal. Walter, Suelen e Danilo estão presos, por decisão do juiz Vallisney de Souza Oliveira, na Superintendência da PF em Brasília. Já Gustavo está detido temporariamente em uma sala da PF no aeroporto da capital federal.