Tamanho do texto

ACM Neto diz que filiado está 'expulso sumariamente'; decisão deve ser referendada pela executiva nacional da sigla ainda nesta quinta-feira

ACM Neto arrow-options
Reprodução/Facebook
"Hoje, ele já está expulso, por decisão minha", afirmou ACM Neto

O presidente nacional do DEM, ACM Neto, disse nesta quinta-feira (25) ao Globo que expulsou dos quadros da legenda Walter Delgatti Neto, preso pela Polícia Federal (PF) na Operação Spoofing na terça-feira. O homem, de 30 anos, confessou ter atuado na invasão de contas no aplicativo Telegram do ministro Sergio Moro (Justiça) e de outras autoridades.

Leia também: Bolsonaro também foi alvo de invasões de hackers, informa Ministério da Justiça

"O DEM não tem como fazer controle prévio das atitudes dos seus milhares de filiados em todo o Brasil. E o filiado em questão não tem e nunca teve qualquer tipo de atividade de direção partidária, mesmo no âmbito local. E, finalmente, como sempre, a gente age com todo o rigor com aqueles que estão envolvidos em irregularidades. Portanto, ele está sendo expulso sumariamente, por decisão minha, a ser depois referendada por Executiva Nacional. Mas hoje ele já está expulso por decisão minha", disse ACM Neto .

O partido deve comunicar oficialmente a decisão em nota, ainda nesta quinta-feira. Diante de casos de grande repercussão, a legenda tem um histórico de decisões céleres, como as expulsões do ex-senador Demóstenes Torres (GO) e do ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda.

Em um dos depoimentos a investigadores, Walter apresentou-se à polícia como um “investidor” com conta bancária na Suíça e disse ter carteiras falsificadas para impressionar meninas. Ele não foi capaz de comprovar à delegada que o interrogou qual era sua fonte de renda.

Leia também: PT vê 'armação' contra o partido em inquérito de invasão de celular de Moro