Tamanho do texto

Presidente eleito viaja para São Paulo para realizar exames no Hospital Albert Einstein nesta sexta-feira (23) antes de cirurgia em 12 de dezembro

Bolsonaro viaja à São Paulo pela primeira vez após vitória nas eleições 2018 para fazer exames pré-operatórios
José Cruz/Agência Brasil
Bolsonaro viaja à São Paulo pela primeira vez após vitória nas eleições 2018 para fazer exames pré-operatórios

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), viajou na manhã desta sexta-feira (23) de Brasília para São Paulo, onde ele realizará exames pré-operatórios para a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia no Hospital Albert Einstein. A previsão é que a cirurgia ocorra no dia 12 de dezembro, 20 dias antes da posse, marcada para 1º de janeiro de 2019. Essa será a terceira operação em pouco mais de três meses.

Leia também: Bolsonaro anuncia filósofo Ricardo Vélez Rodríguez para ministro da Educação

O objetivo da cirurgia é restabelecer o trânsito intestinal, abrindo a incisão na qual o presidente eleito levou 35 pontos, e retirando a bolsa. A estimativa é que a recuperação de Bolsonaro após a operação dure entre uma semana e 10 dias, tempo suficiente, portanto, para que ele esteja apto para os compromissos como presidente a partir da posse.

A bolsa de colostomia foi colocada em Bolsonaro durante uma  cirurgia em decorrência da facada que o então candidato à Presidência sofreu durante um ato de campanha nas ruas de Juiz de Fora, Minas Gerais, em 6 de setembro. O agressor, Adélio Bispo Oliveira, foi preso em flagrante e segue preso em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Um laudo psiquiátrico elaborado por um profissional particular a pedido da sua defesa atestou que o acusado tem um transtorno grave .

Por conta da recuperação do atentado, Bolsonaro precisou inicialmente cancelar uma série de compromissos de campanha e, depois, reduzi-los. O presidente eleito não particiou de nenhum debate no 2º turno e, após deixar o Hospital Albert Einstein em 29 de setembro , passou todo o período restande de campanha no Rio de Janeiro, com compromissos apenas dentro de sua própria casa na Barra da Tijuca, Zona Oeste da capital carioca, e na casa de um apoiador, também no Rio, onde as gravações dos programas do horário eleitoral obrigatório e de algumas entrevistas foram realizadas.

Jair Bolsonaro (PSL) só deixou o Rio de Janeiro no dia 6 de novembro quando  viajou à Brasília para dar início aos compromissos da equipe de transição do futuro governo. Desde então, o presidente eleito se revezou entre a capital federal e a capital carioca e já anunciou o nome de 12 futuros ministros, fez reuniões com os chefes dos poderes legislativo e judiciário, com o próprio presidente em exercício Michel Temer e também com os futuros e atuais chefes das Forças Armadas. Esta é, portanto, a primeira vez que Bolsonaro vem a São Paulo desde a confirmação de sua vitória no segundo turno das eleições 2018 em 28 de outubro .

Na noite de ontem (22), o último compromisso de Bolsonaro foi a participação na cerimônia de casamento do ministro extraordinário de transição e futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em um clube em Brasília.

Depois dos exames pré-operatórios em São Paulo, porém, Bolsonaro segue de volta novamente para o Rio de Janeiro. A expectativa é que ele participe do encerramento do Simpósio Nacional de Combate à Corrupção, no qual estarão também o ex-juiz federal Sérgio Moro, confirmado para assumir o Ministério da Justiça e da Segurança Pública no futuro governo.

Leia também: Bolsonaro confirma encontro com assessor de Trump na semana que vem

O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSL), e o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), também participam do simpósio. É possível que ambos e o presidente eleito se encontrem. Ontem (22), Bolsonaro também disse que conversará com o ministro da Defesa sobre a possível manutenção da intervenção federal na segurança pública do Rio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.