Tamanho do texto

Após pesquisa Datafolha, candidato mudou discurso e cobrou "último gás" contra "mentiras do PT"; Bolsonaro volta a falar de kit gay e repete que Fernando Haddad jogou bíblia no lixo – o que já foi desmentido pelo petista

Bolsonaro muda discurso após ver distância para Fernando Haddad diminuir, segundo mostrou pesquisa
Tânia Rêgo/Agência Brasil - 25.10.18
Bolsonaro muda discurso após ver distância para Fernando Haddad diminuir, segundo mostrou pesquisa

Uma semana após afirmar que "está com uma mão na faixa" , o candidato Jair Bolsonaro (PSL) reformulou sua narrativa ao dizer, nesta sexta-feira (26), que "nada está ganho". Bolsonaro muda discurso num momento em que as pesquisas de intenção de voto apontam vantagem menor do candidato do PSL em relação ao seu adversário , Fernando Haddad (PT).

O vídeo no qual Bolsonaro muda discurso foi publicado pelo próprio capitão da reserva em suas redes sociais. Em pouco mais de dois minutos de gravação, o candidato ataca Haddad e o acusa de espalhar notícias falsas contra si.

"O que está em jogo é o futuro do Brasil. É a minha liberdade. É a sua liberdade. E o apelo que eu faço nesse momento: muita seriedade. Ajude a combater os fake news para que nós possamos ter uma eleição tranquila por ocasião do próximo domingo", diz Bolsonaro.

O candidato do PSL também elencou aquelas que ele chamou de fake news propagadas pelo seu adversário no segundo turno.

"[Haddad] espalha agora os mais variados fake news a respeito do outro candidato, que sou eu. Como se eu fosse aquele que acabaria com os cartórios, demitiria todos os professores e merendeiras do Brasil porque o ensino seria a distância. Um absurdo! Iria desmatar a Amazônia, cobraria mensalidades de alunos de universidades, acabaria com o Bolsa Família e 13º salário. Mataria gays e índios. Absurdos em cima de absurdos. Será que o PT não sabe fazer outra coisa se não mentir?", reclamou.

Leia também: "São mestres em enganar", afirma Jair Bolsonaro sobre o PT

Mas o capitão da reserva do Exército não ficou apenas na defensiva. Bolsonaro também disparou críticas a Haddad e se valeu de ao menos três fatos já desmentidos pelo petista em sua ronda de ataques.

"O Brasil é um país cristão. O candidato do PT, Fernando Haddad, após receber de presente uma bíblia, simplesmente a jogou no lixo, zombando da nossa fé", declarou Bolsonaro. Sobre esse episódio, ocorrido nesta semana em Fortaleza (CE), o  candidato do PT disse que foi furtado logo após ganhar a bíblia – que já foi recuperada.

"Nós sabemos que, uma vez eleito, Haddad concederá indulto para Lula. O colocará em liberdade, bem como os demais condenados nesta Operação Lava Jato. Ele acabará com a Operação Lava Jato. Será a volta da corrupção no Brasil", disse também Bolsonaro, embora Haddad já tenha afirmado em mais de uma ocasião que não dará indulto a Lula , que está preso em Curitiba.

Jair Bolsonaro também voltou a falar do chamado ' kit gay ' e afirmou que seu adversário, quando foi ministro da Educação, queria "que o filho do pobre tivesse aula de sexo a partir dos seis anos de idade". 

"Esse candidato, Fernando Haddad, é inimigo da família brasileira. Queria sim, lá em 2010 implementar o kit gay nas escolas para que o filho do pobre tivesse aula de sexo a partir dos seis anos de idade. Isso é um absurdo.

O próprio Fernando Haddad respondeu ao vídeo no qual Bolsonaro muda discurso para rebater essa acusação. O candidato do PT mencionou notícia informando que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE)  proibiu Bolsonaro de citar o suposto 'kit gay' e o livro "Aparelho Sexual e Cia" para atacar o petista, uma vez que a obra jamais integrou o programa Escola Sem Homofobia.