Lázaro Barbosa, de 32 anos
Reprodução
Lázaro Barbosa, de 32 anos











Você viu?

Além de uma pistola, Lázaro Barbosa Sousa , morto na manhã desta segunda-feira após um confronto com policiais que há 20 dias tentavam localizá-lo , estava com cerca de R$ 4,4 mil. O dinheiro, para o secretário de Segurança Pública de Goiás , Rodney Miranda, seria usado numa fuga do "estado ou até do país".

"Isso é mais uma prova de que tinha gente acobertando ele e dificultando o trabalho das forças policiais . Possivelmente ele planejava fugir. Mas o esforço de todas as forças impediu que ele ou fugisse ou continuasse a cometer outros crimes. O indicativo do dinheiro no bolso certamente era de que ele estava querendo sair ou do estado ou até do país".

A declaração foi feita numa entrevista coletiva. Rodney comentou ainda sobre uma possível rede de pessoas que teriam dado cobertura a  Lázaro durante a fuga na área rural dos municípios de Cocalzinho e Águas Lindas de Goiás. Foi nessa segunda cidade que, segundo o secretário, ao ser abordado, Lázaro disparou contra os agentes, dando início ao confronto:

"Temos filmagens que vamos mostrar para vocês: ele estava armado. Ele foi para o mato, fizemos o cerco. Ele tentou fugir do cerco e confrontou a equipe do major Edson. Um trabalho coletivo e, graças a Deus, nenhum policial foi ferido. Ele, na hora da abordagem, descarregou a pistola em cima dos policiais. E não tivemos outra alternativa senão revidar".

Lázaro teria feito ainda ameaças aos policiais quando foi visto em Águas Lindas , onde teria ido à casa da ex-sogra e da ex-mulher.

"Ele foi para buscar, para encontrar com elas. Nós estávamos monitorando. Tentamos ali já pegá-lo. Ele chegou a ameaçar alguns policiais dizendo que se entrassem na mata atrás dele, ele daria tiro na cara. Fizemos o cerco prudentemente, tecnicamente", relatou Rodney.

O secretário afirmou ainda que, ao ser colocado na ambulância, Lázaro estava vivo.

"Ele foi conduzido com vida, mas chegou no hospital e foi a óbito ", disse.

De acordo com ele, o criminoso vinha recebendo apoio: "Estava trocando de roupa mais uma vez: mais uma prova que tinha uma rede que o acobertava. E essa questão de ele querer fugir também, patrocinado logicamente, mostra que tinha gente não interessada na prisão dele".

A investigação para tentar identificar cúmplices de  Lázaro continuará — a polícia acredita que ele possa ter tido ajuda em sete ou oito crimes de latrocínio e assassinato. A ex-sogra e a ex-mulher do criminoso prestam depoimento e, de acordo com o secretário, podem ser indiciadas por facilitação de fuga, disse Rodney.

O corpo de Lázaro foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Goiânia , onde passará por uma necrópsia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários