Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, enviará US$800 milhões à Ucrânia
Twitter Joe Biden/ Fotos Públicas
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, enviará US$800 milhões à Ucrânia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden , anunciou, nesta quarta-feira (13), durante conversa com seu homólogo da Ucrânia, Volodymyr Zelensky , o envio de mais US$ 800 milhões em novas armas, informou a Casa Branca.

De acordo com o democrata, este novo pacote de armas "contém muitos dos sistemas altamente eficazes que já fornecemos e outros novos projetados para responder ao ataque mais amplo que a Rússia lançará no leste da Ucrânia".

Os sistemas incluem artilharia e veículos blindados de transporte de pessoal, além de helicópteros Mi-17 e "equipamentos contra armas químicas". Segundo o porta-voz do Pentágono, John Kirby, o envio de meios de proteção baseia-se "nas preocupações que temos há algum tempo de que Moscou possa usar armas químicas".

Em comunicado, a Casa Branca reforça que os Estados Unidos continuam a facilitar a transferência de armas significativas de nossos aliados e parceiros em todo o mundo.

"O fornecimento constante de armas que os EUA, seus aliados e parceiros forneceram à Ucrânia tem sido fundamental para apoiar sua luta contra a invasão russa", disse Biden, reforçando que o auxílio "ajudou a garantir que Putin tenha fracassado em seu objetivo".

Leia Também

Biden enfatizou que agora não é momento de "desistir". "Como assegurei ao presidente Zelensky, o povo americano continuará apoiando o bravo povo ucraniano em sua luta pela liberdade".

Em um encontro virtual, os dois líderes conversaram por cerca de uma hora sobre o pacote adicional de defesa e uma possível ajuda financeira, divulgou Zelensky em suas redes sociais.

Conforme o líder ucraniano, Biden aceitou suas propostas sobre aumentar algumas sanções. Agora, a remessa de US$ 800 milhões eleva para mais de US$ 3 bilhões a quantidade total de assistência militar que os EUA forneceram à Ucrânia.

O novo envio é anunciado um dia após o chefe de Estado americano acusar a Rússia de cometer um genocídio na Ucrânia. O Kremlin, porém, rebateu a declaração considerando-a inaceitável .

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários