Crise hídrica no Leste da Ucrânia deixa 1,4 milhão de pessoas sem água, aponta Unicef
Reprodução: redes sociais - 08/04/2022
Crise hídrica no Leste da Ucrânia deixa 1,4 milhão de pessoas sem água, aponta Unicef

Cerca de 1,4 milhão de pessoas estão sem água potável no leste da Ucrânia, região devastada pela guerra com a Rússia. Outros 4,6 milhões em todo o país correm o risco de ficar sem suprimentos, segundo estimativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). A crise seria resultado direto dos intensos combates ocorridos na região.

Segundo o órgão, o uso massivo de armas explosivas em áreas povoadas teria destruído grande parte dos sistemas hídricos da região. Mais de 20 ataques isolados, realizados pelas forças russas, teriam causado algum tipo de dano () à infraestrutura hídrica da Ucrânia, gerando um alerta para o "risco de colapso total" no fornecimento.

Além disso, redes elétricas locais foram danificadas, desligando bombas de água e causando explosões em tubulações, interrompendo o fluxo de água na região.

“A água é essencial para a vida e um direito para todos. Os riscos para a saúde, principalmente para crianças e idosos, causados por paralisações de água são graves, pois as pessoas são forçadas a usar fontes de água suja, resultando em diarreia e outras doenças infecciosas mortais”, disse Osnat Lubrani, representante da ONU na Ucrânia, em comunicado.

Murat Sahin, outro representante do UNICEF no país, acrescentou que “as crianças pequenas que vivem em zonas de conflito têm 20 vezes mais chances de morrer de doenças diarreicas ligadas à água não potável do que de violência direta, como resultado da guerra”.

Leia Também

Sem comida e munição

Mais de mil fuzileiros navais ucranianos se renderam na cidade portuária de Mariupol, disse o Ministério da Defesa da Rússia nesta quarta-feira, o 49º dia da guerra. A cidade no Sudeste, o principal alvo estratégico na região de Donbass, foi reduzida a ruínas, mas ainda não está sob controle russo.

Cercada e bombardeada por tropas russas por semanas e foco de alguns dos combates mais ferozes da guerra, Mariupol, onde antes da guerra moravam mais de 400 mil habitantes, seria a maior cidade a cair desde que a Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro.

"Na cidade de Mariupol, perto da siderúrgica Ilyich, como resultado de ofensivas bem-sucedidas das Forças Armadas russas e unidades da milícia da República Popular de Donetsk, 1.026 soldados ucranianos da 36ª Brigada de Fuzileiros Navais depuseram voluntariamente as armas e se renderam", disse o ministério em um comunicado.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários