Vendedor de bala, Hiago Macedo, foi morto por um policial militar de folga na estação das barcas, em Niterói
Reprodução
Vendedor de bala, Hiago Macedo, foi morto por um policial militar de folga na estação das barcas, em Niterói

As imagens das câmeras de segurança disponibilizadas pela CCR Barcas mostraram que não houve nenhuma tentativa de furto, roubo e nem de violência por parte do vendedor de balas,  Hiago Macedo de Oliveira, de 21 anos. A informação foi confirmada pelo secretário de Direitos Humanos de Niterói, Raphael Costa, nesta terça-feira, no Cemitério Maruí, em Niterói, onde o jovem será enterrado às 16h.

Acompanhando o caso desde a tarde de segunda-feira (14), Raphael contou que a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) entendeu que o autor do disparo, o policial militar Carlos Arnaud Baldez Silva Júnior, praticou um ato cruel de violência.

Segundo ele, as imagens foram fundamentais para o indiciamento de homicídio doloso qualificado por motivo fútil. "A gente continua acompanhando as investigações para garantir que o inquérito seja levado adiante e que não tenha nenhum resultado de impunidade", disse o secretário.

A secretaria de Direitos Humanos acompanhou o depoimento da viúva de Hiago, Thais Oliveira Santos, 29 anos, e também prestou suporte para o sepultamento gratuito, pois a família não teve condições financeiras. Além disso, está sendo oferecido atendimento psicológico e socioassistencial para os familiares.

Em conversa com o delegado Heleno, responsável pelas investigações, o secretário afirmou que a expectativa é que o PM continue preso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários