Ministro Edson Fachin
Rosinei Coutinho/SCO/STF - 25.9.19
Ministro Edson Fachin

O ministro Edson Fachin disse que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está "atento e preparado" para "desafios" e "ataques de diversas formas e origens".  Fachin é o próximo presidente da Corte e discursou na abertura da reunião de transição dos novos gestores, ao lado dos ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

"Há robusto conjunto de desafios que encontraremos, a segurança cibernética é um elemento imprescindível. Há riscos de ataques de diversas formas e origens. O alerta é máximo. A guerra contra a segurança no ciberespaço da Justiça foi declarada há algum tempo", disse Fachin.

"De modo a não pairar dúvidas: violar a estrutura de segurança do TSE abre a porta para a ruína da democracia, aqueles que patrocinam esse caos sabem o que estão fazendo", acrescentou.

O ministro vai substituir o atual presidente da Corte, Luís Roberto Barroso, no próximo dia 22 e terá como vice Alexandre de Moraes .

De acordo com Fachin, a nova gestão tem como prioridade as ações para conter fluxos de desinformação eleitoral. "A gestão do ministro Barroso foi um exemplo. Ontem, houve a reunião da Comissão de Transparência Eleitoral e do Observatório da Transparência Eleitoral. Por isso é que estamos confiantes de que, apesar do populismo autoritário, a democracia vai triunfar em 2022".

Na ocasião, ele também disse que as ameaças são "credíveis". "Estamos atentos desde já. E, como desde antes, sempre estaremos atentos e preparados. Teremos também pela frente as ameaças ruidosas do populismo autoritário. Enfrentaremos distorções factuais e teorias conspiratórias, as quais somadas ao extremismo tentam atingir o reconhecimento da Justiça Eleitoral", acrescentou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários