Hiago Macedo, vendedor de bala, foi morto por PM
Reprodução
Hiago Macedo, vendedor de bala, foi morto por PM

A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI) decidiu prender em flagrante o policial militar Carlos Arnaud Baldez Silva Júnior. O sargento, lotado no 7° BPM (São Gonçalo), vai responder pelo homicídio qualificado, por motivo fútil, do vendedor de doce Hiago Macedo de Oliveira Bastos, de 22 anos .

O rapaz foi baleado no peito enquanto trabalhava, no fim da manhã desta segunda-feira, em frente à estação das barcas de Niterói. Segundo a Polícia Militar, o sargento alegou, após o episódio, que teria agido para tentar evitar uma tentativa de assalto.

Até as 20h30, Carlos Arnaud permanecia no interior da especializada. Ainda não se sabe se ele seguirá ainda hoje para o Batalhão Especial Prisional (BEP) da corporação, também em Niterói, ou para a carceragem do 7° BPM, onde ele se apresentaria para prestar o primeiro serviço justamente na noite desta segunda-feira.

Mais cedo, a viúva de Hiago prestou depoimento na Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI). Taís Conceição de Oliveira Santos foi ouvida na companhia do filho, enteado de Hiago, que estava com o rapaz no momento em que ele foi baleado. A família afirma que Hiago é vendedor de balas e estava trabalhando no local.

— Ele só desceu para trabalhar, como fazia todos os dias. Estava com uma caixa de balas na mão. Não sabia que hoje em dia a gente oferecer bala era um crime. A gente está só trabalhando. Se o ser humano não quer doce, é só não comprar. Um homem sacar uma arma e tirar a vida de um pai de família desnecessariamente? Em que mundo a gente está vivendo? — afirmou Taís, muito emocionada, ao deixar a delegacia por volta das 16h.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários