Irã trabalha para ter armas nucleares, diz agência da ONU

De acordo com relatório da AIEA, programa atômico de Teerã inclui produção de ogiva para um míssil que alcançaria Israel

iG São Paulo |

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirmou pela primeira vez nesta terça-feira que o Irã é suspeito de conduzir experimentos secretos cujo único propósito é o desenvolvimento de armas nucleares.

AP
Preisdente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, visita usina de Natanz (foto de arquivo)
A conclusão está em relatório da agência nuclear da ONU que circulou para seus 35 membros e para o Conselho de Segurança da ONU. O documento é o sinal mais forte de que Teerã tenta construir um arsenal nuclear, apesar de alegações ao contrário. Com especulações de que Israel estuda uma resposta militar , o relatório abre um novo caminho de confronto entre o Ocidente e o Irã.

De acordo com o documento, enquanto parte do trabalho nuclear secreto do Irã pode ter propósitos pacíficos, "outros são específicos para armas nucleares". Um anexo de 13 páginas ao relatório da agência sobre o Irã detalha inteligência e pesquisa da AIEA que mostram que Teerã trabalha em todos os aspectos de pesquisa com o objetivo de construir uma arma, incluindo produzir uma ogiva para um míssil.

O relatório foi precedido de especulações na mídia israelense sobre supostos planos de ataques de Israel contra locais nucleares do Irã. Os EUA e seus aliados devem usar o aguardado relatório para pressionar por mais sanções contra o país produtor de petróleo.

Teerã nega as acusações, dizendo que elas não têm fundamento. O país diz que seu programa é pacífico e busca a geração de eletricidade.

Em seu mais recente relatório sobre o Irã, a AIEA detalha todos os seus conhecimentos sobre o suposto programa secreto de armas nucleares da República Islâmica, incluindo:

- aquisição clandestina de equipamento e projetos necessários para fazer tais armas atômicas;

- testes de explosivos e desenvolvimento de detonador para disparar carga nuclear;

- desenhos de computador do centro de uma ogiva nuclear;

- trabalho preparatório para um teste de armas nucleares;

- desenvolvimento e montagem de uma carga nuclear para seu míssil de alcance intermediário Shahab 3  (arma que pode atingir Israel, seu arqui-inimigo).

Todas as opções sobre a mesa

Antes da divulgação do relatório, o ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, alertou para um possível ataque militar israelense contra o programa nuclear iraniano, afirmando, porém, que Israel ainda não havia tomado uma decisão a respeito . À Rádio Israel, ele afirmou não esperar que nenhuma nova sanções contra Teerã pudesse persuadir o país a deixar sua posição nuclear, acrescentando: "Continuamos recomendando a nossos amigos no mundo e a nós mesmos a não descartar nenhuma opção da mesa."

A frase "todas as opções sobre a mesa" é frequentemente usada por políticos israelenses para se referir a uma ofensiva militar, e membros do governo israelense indicaram recentemente que um ataque era provavelmente uma forma mais efetiva de parar o programa nuclear do Irã do que a diplomacia contínua.

*Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: israelirãprograma nucleareuaaieaalemanhaahmadinejad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG