Segundo jornal francês, candidato socialista François Hollande teria chamado o atual presidente de 'um cara sujo'

A disputa eleitoral francesa se transformou em uma troca de difamações nesta quarta-feira, depois de um jornal publicar que o candidato socialista François Hollande chamou o atual presidente Nicolas Sarkozy de "um cara sujo".

Leia também: Novas revelações ligam Sarkozy a supostos desvios de fundos, diz jornal

François Hollande, candidato do Partido Socialista, acena durante visita em Merignac, perto de Bordeaux
Reuters
François Hollande, candidato do Partido Socialista, acena durante visita em Merignac, perto de Bordeaux

Aliados indignados de Sarkozy aproveitaram o termo publicado no jornal Le Parisien para condenar o favorito da esquerda nas pesquisas presidenciais e exigir desculpas públicas dele antes mesmo de se poder confirmar ou esclarecer os comentários atribuídos a Hollande.

Dominique Dord, tesoureiro do partido UMP, de Sarkozy, descreveu o comentário como "revoltante" e disse em mensagem de texto à Reuters que Hollande deveria deixar a disputa presidencial, a menos de quatro meses da eleição.

"Estamos todos profundamente chocados", disse o líder do partido UMP, Jean-François Cope. "Essa não é a postura esperada de um candidato presidencial", disse a ministra do governo Nadine Morado, uma dos vários membros do UMP a atacar o suposto comentário. "Eu exijo uma desculpa pública."

O furor foi provocado por uma citação truncada em um artigo no Parisien, onde o autor descrevia uma conversa durante um almoço com Hollande em que ele teria descrito Sarkozy como um "presidente fracassado" e um "sale mec", que pode ser traduzido como "um cara sujo" ou "um tipo indecente".

Autoridades do Partido Socialista disseram à Reuters que seu candidato presidencial não insultou o presidente diretamente durante o almoço com a imprensa e que suas palavras foram tiradas do contexto. "As declarações não foram feitas daquela maneira, nem naquele sentido", disse a porta-voz Najat Vallaud-Belkacem à BFM TV, um canal de notícias.

A escaramuça pré-eleitoral é reminiscente de uma briga eleitoral anterior, em 2002, quando o candidato socialista Lionel Jospin descreveu o rival Jacques Chirac como "velho e gasto".

Aquele ataque pessoal pode ter prejudicado Jospin, que foi derrotado na disputa presidencial em um choque nas urnas que impulsionou o líder da Frente Nacional, de extrema direita, Jean-Marie Le Pen, para disputar um segundo turno com Chirac.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.