Agência nuclear da ONU adota resolução contra o Irã

Na resolução, a AIEA expressa 'profunda preocupação' com o programa nuclear iraniano, mas não dá prazos nem ameaça com punições

iG São Paulo |

O Conselho de Diretores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) adotou nesta sexta-feira uma resolução contra o Irã, expressando sua "profunda e crescente preocupação" quanto ao seu programa nuclear.

Leia também:
- Potências enviam projeto de resolução sobre Irã à AIEA
- Irã trabalha para ter armas nucleares, diz agência da ONU
- Ahmadinejad rejeita relatório e diz que Irã não vai recuar em programa nuclear


AP
Diretor geral da AIEA, Yukiya Amano, do Japão aguarda pelo início da reunião em Viena, na Áustria

A AIEA disse que não podia mais descartar as evidências de que o Irã estava trabalhando secretamente na fabricação de armas nucleares. Em recente comunicado, a agência afirmou que o Irã tem feito testes "relevantes para o desenvolvimento de um dispositivo nuclear".

Os Estados Unidos e seus aliados acreditam que o Irã tenta desenvolver armas nucleares, uma acusação que Teerã nega. A resolução desta sexta-feira foi aprovada por 32 votos contra dois - de Cuba e Equador - além de uma abstenção.

No entanto, o comunicado não recomenda nenhuma medida punitiva nem fixa um prazo ao Irã para que respondam às preocupações manifestadas pela agência, em uma concessão à Rússia e à China. O relatório da resolução foi elaborado na quinta-feira em Viena pelo Reino Unido, China, França, Rússia e os Estados Unidos, além da Alemanha.

A resolução diz que é "essencial que o Irã e a Agência intensifiquem seu diálogo", e pede a Teerã que "respeite plenamente e sem demora suas obrigações, de acordo com as resoluções relativas do Conselho de Segurança da ONU".

As grandes potências anunciaram na quinta-feira que iam apresentar à AIEA um projeto de resolução no qual expressam sua profunda preocupação quanto às atividades nucleares do Irã.

Saiba mais:
- Israel pede ao mundo que detenha corrida do Irã por arma nuclear
- Rússia se opõe à adoção de novas sanções contra o Irã
- Cientista da ex-URSS nega ter ajudado o Irã na área nuclear

A resolução dos cinco membros do Conselho de Segurança da ONU e Alemanha "expressa uma profunda e crescente preocupação no que diz respeito aos temas não resolvidos do programa nuclear iraniano, incluindo aqueles que precisam ser esclarecidos para excluir a existência de uma possível dimensão militar".

Também na véspera, o diretor-geral AIEA, Yukiya Amano, declarou que propôs o envio de uma missão ao Irã para esclarecer os elementos do último informe da agência sobre uma possível dimensão militar do programa nuclear iraniano .

    Leia tudo sobre: aieanuclearirãonuprograma nuclearsançõesahmadinejadeuachinarússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG