Acidente de trem deixa 50 mortos e centenas de feridos na Argentina

Trem lotado descarrila e bate contra plataforma de embarque da estação Once em Buenos Aires

iG São Paulo |

Um trem lotado descarrilou e bateu na plataforma de embarque de uma estação de Buenos Aires, capital da Argentina, na manhã desta quarta-feira, deixando 50 mortos e centenas de feridos. Os números foram confirmadas por Claudio Ayruj, subsecretário de Direitos Humanos da cidade de Buenos Aires, que admitiu que ainda não foram identificadas todas as vítimas. Néstor Rodriguez, representante da Polícia Federal, afirmou que o acidente matou 48 adultos e uma criança.

Assista: Imagens mostram resgate de passageiros de acidente na Argentina

AP
Bombeiros resgatam passageiros feridos em acidente de trem em Buenos Aires, Argentina

Relato: 'Sentimos que vagão subia no outro', diz ferido em acidente

Veja também: Estação de trem vira pronto-socorro improvisado na Argentina

Cerca de 675 passageiros ficaram feridos, e as equipes de emergência tiveram um trabalho extra para retirar as dezenas que continuavam presas no primeiro vagão do trem, informou Alberto Crescenti, o diretor de emergências médicas de Buenos Aires. Eles fizeram um buraco no teto do vagão e criaram um sistema de polias para poder retirar as vítimas restantes.

O trem chegava à estação terminal Once, no oeste da cidade, quando aparentemente não conseguiu frear. Em alta velocidade, o trem saiu dos trilhos e bateu na barreira localizada no fim da plataforma, amassando a parte da frente do motor e danificando o primeiro vagão, onde passageiros costumam carregar bicicletas.

Muitos que sofreram com queimaduras e ferimentos leves aguardavam para ser atendidos nas plataformas da estação, enquanto helicópteros e dezenas de ambulânicas levavam os outros a hospitais próximos. Dos 675 feridos, 461 foram hospitalizados e cerca de 200 tiveram ferimentos graves, segundo informou o secretário da Saúde Jorge Lemus.

Enquanto isso, segundo o jornal argentino Clarín, os mortos eram levados para a parte de trás da estação, para evitar que fossem filmados pelas redes de televisão.

Esse é o acidente de trem com maior número de vítimas fatais desde o dia 1º de fevereiro de 1970, quando um trem bateu contra outro no subúrbio de Buenos Aires deixando 200 mortos.

Assista ao vídeo do momento do acidente:

Passageiros disseram que as janelas dos trens explodiram após a colisão. Muitos passageiros que estavam de pé caíram no chão por causa do impacto. Imagens de TV mostraram o resgate do condutor do trem, que ficou preso entre ferros retorcidos. "O trem estava muito cheio. O impacto foi tremendo. Eu vinha no vagão em que se pode viajar com bicicleta. As pessoas estavam desesperadas para sair", contou Ezequiel, um passageiro.

O governo argentino defendeu o maquinista que conduzia o trem que, segundo o secretário de Transporte do governo federal, Juan Pablo Schiavi, é um jovem de 28 anos com um "ótimo currículo".

"É um jovem de 28 anos, com um currículo muito bom, e estava descansado no momento que ocorreu o acidente porque tinha iniciado o serviço algumas estações antes", disse o ministro sobre o condutor que está hospitalizado em terapia intensiva, mas não corre risco de morrer. "O país está de luto, queremos ver se isso foi verdadeiramente um acidente", disse Schiavi.

O ministro afirmou que, segundo as medições do GPS, o trem vinha diminuindo a velocidade no trecho final para entrar no terminal aos "39 km por hora até 20 km por hora a 40 metros do pára-choque contra o qual acabou se chocando.

"Aqui não sabemos o que aconteceu, mas temos inclusive o registro de vozes na cabine, entre o condutor e o encarregado de linha e o entregamos à Justiça, assim como a filmagem da câmera fixa" do trem, disse.

Schiavi admitiu que o primeiro e o segundo vagão, onde houve o maior número de vítimas, "vinham abarrotados de passageiros, o que fez com que o acidente se tornasse uma tragédia", mas assegurou que o total de pessoas do vagão correspondia à capacidade permitida.

O ministro assegurou que o governo "está levando adiante uma investigação administrativa e técnica muito profunda, temos os dados objetivos que não vão levar em pouco tempo à verdade".

O último grande acidente ferroviário da Argentina aconteceu em 18 de dezembro, quando uma locomotiva se chocou contra um trem repleto de passageiros parado numa estação da periferia sul da capital, deixando 17 feridos.

Em 13 de setembro de 2011, nove pessoas morreram e 212 ficaram feridas no choque de dois trens e um ônibus numa passagem de nível do bairro metropolitano de Flores, a oeste, em um dos episódios mais graves dos últimos anos.

Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: argentinabueno airesacidentetrem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG