Presidente Jacob Zuma é submetido a exames na África do Sul

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Líder sul-africano, porém, não apresentou problemas de saúde, segundo seu gabinete; ele anunciou que tirará uns dias de folga

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, foi hospitalizado para realizar exames de rotina neste sábado (7), mas não apresentou problemas de saúde, de acordo com nota divulgada por seu gabinete.

2010: Polígamo, presidente sul-africano expulsou de casa esposa infiel, diz jornal

AP
Presidente Jacob Zuma chega para sua cerimônia de posse em Pretória, África do Sul (maio/2014)


Vídeo: Zuma canta e dança para comemorar

A informação veio após duas semanas da posse de Zuma como presidente sul-africano pela segunda vez. Ele compõe o partido Congresso Nacional Africano.

"Ontem o presidente Zuma foi aconselhado a descansar depois de uma eleição exigente e programa de transição para um novo governo", informou o gabinete. Nenhum detalhe adicional foi divulgado.

Em um comunicado veiculado na sexta-feira, o gabinete de Zuma disse que o presidente tiraria alguns dias de folga antes de realizar seus compromissos públicos e exerceria algumas de suas funções oficiais de casa.

Principal partido de oposição da África do Sul, a Aliança Democrática desejou uma rápida recuperação Zuma.

"Nós também aguardamos esclarecimentos sobre a condição de saúde do presidente e se o vice-presidente vai assumir as funções oficiais", afirmou o partido por meio de comunicado.

Novo vice-presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa disse no mês passado que estava saindo de um grande grupo de investimentos que fundou para evitar qualquer conflito de interesses com a sua posição política. Ramaphosa era um líder sindical durante o governo branco, que terminou em 1994.

Zuma, um ex-ativista anti-apartheid, tomou posse no dia 24 de maio em uma cerimônia marcada por dança, oração, salva de 21 tiros e homenagem da Força Aérea. Em discurso, ele disse que a África do Sul era um lugar melhor para se viver do que era em 1994, mas que a pobreza, o desemprego e outros problemas ainda persistem.

*Com AP

Leia tudo sobre: presidente africa do sulzumasauderamaphosa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas