Foguetes atingem Tel Aviv pela 1ª vez desde a Guerra do Golfo

Aumenta a ofensiva entre israelenses e palestinos e cresce o número de vítimas do confronto; ministro da Defesa de Israel disse que os militantes pagariam o preço por disparar mísseis

Reuters |

Reuters

Dois foguetes disparados da Faixa de Gaza atingiram Tel Aviv na quinta-feira no primeiro ataque à capital comercial de Israel em 20 anos - desde a Guerra do Golfo, em 1991 - aumentando os riscos de um confronto entre Israel e os palestinos que está caminhando para uma guerra.

Conflito: Israel autoriza convocação de 30 mil reservistas após fogo cruzado em Gaza

Oriente médio: Foguetes palestinos matam israelenses e tensão aumenta

Vítimas: 'Por que meu filho teve de morrer assim?', diz editor da BBC em Gaza

Mais cedo, um foguete do Hamas matou três israelenses ao norte da Faixa de Gaza, fazendo as primeiras vítimas israelenses, à medida que o número de mortos palestinos subiu para 16, cinco delas crianças.

Reuters
Israel lança sistema de interceptação, que identifica os foguetes direcionados para áreas povoadas

Aviões de guerra israelenses bombardearam alvos em Gaza e ao redor da cidade pelo segundo dia consecutivo, abalando edifícios altos. Em um sinal de eventual escalada, o porta-voz das Forças Armadas de Israel disse que os militares tinham recebido permissão para convocar até 30 mil soldados da reserva . O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, disse que os militantes palestinos pagariam o preço por disparar os mísseis.

Leia também: Israel divulga vídeo de ataque que matou líder do Hamas

Confronto: Ataque de Israel mata comandante militar do Hamas em Gaza

Ao mesmo tempo, aeronaves israelenses realizaram uma onda de ataques noturnos contra alvos em todo o enclave, desencadeando mais de 25 rápidos ataques consecutivos. Um gerador elétrico que fornece energia para a casa do primeiro-ministro do Hamas, Ismail Haniyeh, na costa de Gaza, foi atingido por um míssil israelense.

O conflito, iniciado por Israel com a morte do chefe militar do Hamas , atiça mais o fogo no Oriente Médio já em chamas com dois anos de revolução e uma guerra civil fora de controle na Síria.

Fogo cruzado:  Israel autoriza convocação de 30 mil reservistas

Israel diz que seu ataque é uma resposta a crescentes ataques com mísseis a partir de Gaza. Os bombardeios de Israel ainda não atingiram o nível visto pela última vez quando invadiu Gaza em 2008, mas as autoridades israelenses disseram que um ataque terrestre ainda é uma opção.

A polícia israelense disse que três israelenses morreram quando um foguete atingiu um prédio de quatro andares na cidade de Kiryat Malachi, 25 quilômetros ao norte de Gaza, as primeiras vítimas israelenses no mais recente conflito que abala a região costeira.

"Esta escalada vai exigir um preço que o outro lado vai ter que pagar", disse Barak em um programa de televisão logo após o ataque.

Falando ao mesmo tempo em Gaza, o líder do Hamas Haniyeh clamou ao Egito a fazer mais para ajudar os palestinos. "Conclamamos os irmãos no Egito, para tomar as medidas que irão deter o inimigo", disse o primeiro-ministro do Hamas.

O presidente francês, François Hollande, começou negociações com o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, e outros líderes mundiais para evitar uma escalada de violência em Gaza, informou o premiê francês, Jean-François Ayrault, nesta quinta-feira.

    Leia tudo sobre: oriente médiofaixa de gazaisraelpalestinos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG