Desmatamento na Amazônia foi de 253,8 km² em setembro

Na comparação com o mês de setembro do ano passado, desmatamento teve queda de 43%

iG São Paulo |

Getty Images
Clareira na floresta: 253,8 km² foram desmatados em setembro na Amazônia
No mês de setembro foram desmatados 253,8 quilômetros quadrados (km²) de floresta na Amazônia, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A área equivale a 30 mil campos de futebol do Maracanã. Em relação ao mês de setembro de 2010, quando foram registrados 448 km² de desmatamento, houve queda de 43%. Já na comparação com o mês de agosto deste ano, quando foram contabilizados 164 km² de derrubadas , houve aumento de 67% da área desmatada.

Mato Grosso foi o estado com maior desmatamento, com 110 km². Em seguida está o estado de Rondônia, com 49,88 km² e em terceiro, o Pará, com 46,94 km². De acordo com o monitoramento do Inpe, Tocantins teve 2,24 km² de desmatamento. No estado do Amapá não foi detectado desmate.Segundo o Instituto, apenas 5% da região não foram monitoradas por causa das nuvens.

"Pelo segundo mês consecutivo, nós tivemos uma redução do desmatamento de uma maneira bastante expressiva", disse em entrevista coletiva a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Em agosto, o Deter também apontou uma redução de 38% em relação ao mês de agosto de 2010.

Leia mais:
Desmatamento da Amazônia cai 53,6% em julho na comparação anual
Desmatamento na Amazônia cresceu em abril
Ministra vê desmatamento "inusitado" e instala gabinete de crise
Desmatamento da Amazônia cresce 16% em relação ao mês de maio


Mesmo com os últimos dois recordes, no acumulado de janeiro a setembro houve uma redução de 1,5% de áreas desmatadas em relação ao mesmo período do ano passado.

"Nós tivemos uma pequena redução de 1,5%, um empate técnico, eu diria assim", disse o coordenador geral de Zoneamento e Monitoramento Ambiental do Ibama, George Porto Ferreira.

A ministra acredita que os dados até então fornecidos sugerem que a agropecuária continua como um dos principais responsáveis pela degradação da Amazônia.

Já a melhora dos números, segundo Izabella, deve-se à intensificação da fiscalização. Em maio deste ano foi instalado um gabinete de crise após a detecção de um pico de desmatamento na área entre março e abril. Até mesmo as Forças Armadas participaram das ações de combate à destruição do bioma.

"A estratégia de combate ao desmatamento está sendo eficiente, tem dado bons resultados, mesmo com o pico de desmatamento que nós tivemos neste ano", afirmou Izabella.

As equipes de fiscalização, que normalmente são reduzidas nesta época do ano por conta da chuva, devem manter o ritmo de trabalho, garantiu a ministra.


(Com informações da Reuters e da Agência Brasil)

    Leia tudo sobre: desmatamentoamazônia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG