'Não tenha arma em casa', aconselha mãe de menino que se matou

Em entrevista na TV, pais de Davi, menino de 10 anos que se matou após disparar contra professora, orientam sobre armas em casa

iG São Paulo |

Os pais de Davi Mota Nogueira, de 10 anos, que atirou contra uma professora e depois se matou , recomendaram que nenhuma família mantenha armas em casa sem necessidade. "Se não precisar ter arma em casa, não tenha, porque se aconteceu com a nossa família, imagina em uma casa que não está preparada para ter uma arma", disse a mãe do menino, Elenice Mota. A declaração foi dada durante entrevista ao programa Mais Você , da TV Globo, na manhã desta sexta-feira.

Leia também: ‘Se eu morrer, você vai ficar triste?’

O pai de Davi, Milton Evangelista Nogueira, é guarda-civil em São Caetano do Sul, na região do Grande ABC Paulista, onde ocorreu a tragédia. Por ter um compromisso pela manhã, Milton deixou a arma carregada. Segundo a delegada Lucy Fernandes, que apura eventuais responsabilidades no caso, o pai não foi negligente. “Foi um fato isolado. Ele nunca deixava a arma carregada”, disse a delegada. "Estou há 20 anos com a arma. Foi uma fatalidade", disse Milton.

AE
Milton e Elenice, pais de Davi, chegam à delegacia para prestar depoimento, na quarta-feira

Milton e Elenice também reiteraram hoje que gostariam de pedir desculpas à professora Rosileide Queiros Oliveira, de 38 anos, baleada por Davi. "Gostaria de pedir desculpas a ela e dizer que ela possa continuar o seu trabalho", disse o pai. Rosileide deixou o Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas (HC) na tarde desta quinta-feira. De acordo com a delegada, a data do depoimento de Rosileide será marcada ainda nesta sexta-feira .

De acordo com testemunhas, Davi, que cursava o 4º ano, atirou no último dia 22 de setembro na professora dentro da sala de aula, na Escola Municipal Professora Alcina Dantas Feijão, onde estavam outros 25 alunos. Em seguida, ele se retirou da sala e disparou um tiro na própria cabeça. O aluno e a professora foram socorridos com vida. Ele foi atendido no hospital de Emergência Albert Sabin, teve duas paradas cardíacas e morreu às 16h50. A professora foi socorrida pelo helicóptero Águia da Polícia Militar e levada para o Hospital das Clínicas.

    Leia tudo sobre: DavialunoprofessoramortetirosescolaSão Caetano

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG