Mascote da Copa 2014 é destruído em confronto no Rio Grande do Sul

Manifestantes que protestavam contra medidas da prefeitura entraram em confronto com policiais. Várias pessoas ficaram feridas seis participantes do protesto foram presos

Agência Estado |

Agência Estado

O boneco inflável de sete metros de altura de um tatu-bola, mascote da Copa do Mundo de 2014 , foi depredado durante confronto de manifestantes com a Brigada Militar do Rio Grande do Sul, no final da noite de quinta-feira, em Porto Alegre..

Leia também: Fifa aponta nomes para mascote da Copa e abre votação para torcedores em site

Wesley Santos/Futura Press
Mascote destruído durante confronto entre manifestantes e policiais, em Porto Alegre

Ao final do conflito, que deixou várias pessoas feridas por cortes e pancadas, seis participantes do protesto foram presos. A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar quem causou lesões corporais e danos ao patrimônio público e se houve abuso por parte dos policiais militares. O mascote, patrocinado por uma empresa de refrigerantes, havia sido colocado no Largo Glênio Peres há dez dias.

Os manifestantes, que haviam se mobilizado para um "ato em defesa da alegria" pelas redes sociais, passaram o final da tarde e grande parte da noite na Praça Montevidéu, a menos de 50 metros de distância. Eles protestaram contra o cercamento do Auditório Araújo Vianna, no Parque Farroupilha, e parcerias da prefeitura com a iniciativa privada para recuperar espaços públicos.

As versões para o conflito são contraditórias. Policiais asseguram que os manifestantes avançaram sobre o boneco e o destacamento que vigiava a região agiu para evitar a depredação. Participantes do ato afirmam que iriam fazer apenas uma roda em volta do mascote quando teriam sido atacados pelos soldados.

    Leia tudo sobre: confrontoporto alegremascote depredado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG