Congo e República Democrática do Congo negam ter cônsul no Brasil

Homem preso com traficante Nem afirmou ocupar posto diplomático e se recusou a autorizar revista no carro por policiais

Fred Raposo, iG Brasília |

As embaixadas da República do Congo e da República Democrática do Congo em Brasília negaram, esta quinta-feira, que tenham cônsul honorário no Brasil. Um dos homens preso ontem, no veículo que fazia o transporte do traficante Nem, afirmou que ocupava o posto diplomático e se recusou a autorizar a revista no carro por policiais militares.

A República do Congo afirmou que tem representação há três anos no país e que não designou cônsul no Rio ou em qualquer outro estado. A República Democrática do Congo disse que aguarda a Polícia Federal (PF) entrar em contato com a sua embaixada para se pronunciar sobre o caso.

Procurado, o Ministério das Relações Exteriores afirmou que também aguarda retorno da Polícia Federal (PF) para tentar identificar o homem preso com Nem e dos outros dois ocupantes do veículo.
A Polícia Federal não descartou a possibilidade de um dos presos realmente se tratar de um cônsul. Segundo a PF, os três são advogados e possuem carteira Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O traficante e os outros três homens foram levados para a sede da PF no Rio, localizada na Praça Mauá, Zona Portuária do Rio de Janeiro. Eles devem ser transferidos ainda esta quinta-feira para o Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste.

    Leia tudo sobre: congotraficante nemrocinhaprisão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG