Polícia vai infiltrar agentes à paisana entre manifestantes no Distrito Federal

Por Nivaldo Souza e Marcel Frota - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Comando da Segurança Pública montou esquema especial para evitar nova depredação no Palácio do Itamaraty e, para isso, vai endurecer ação policial

A Polícia Militar do Distrito Federal definiu mudanças na postura do policiamento para manifestação programada para esta quarta-feira (26), em Brasília. A expectativa é de que a nova edição da Marcha do Vinagre atraia até 100 mil pessoas. Ficou acertado que a PM fará um cordão de isolamento em formato de "U" para proteger o Congresso Nacional, a sede do Ministério da Justiça e o Palácio do Itamaraty.

Protesto da semana passada:
Manifestantes colocam fogo no Palácio do Itamaraty e tentam invadir o prédio
'Político precisa saber que não é imortal', diz manifestante de Brasília

Veja imagens do protesto da semana passada:

Manifestantes colocam fogo no Palácio do Itamaraty em protesto que reuniu mais de 20 mil. Foto: ReutersManifestantes colocam fogo no Palácio do Itamaraty e são contidos pela polícia. Foto: DivulgaçãoManifestantes colocam fogo no Palácio do Itamaraty em protesto que reuniu mais de 20 mil. Foto: ReproduçãoManifestantes tentam invadir Palácio do Itamaraty em protesto que reuniu 20 mil em Brasília. Foto: ReproduçãoManifestantes entram em confronto com a polícia em Brasília. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABrManifestantes entram em confronto com a polícia em Brasília. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABrManifestantes entram em confronto com a polícia em Brasília. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABrCerca de 20 mil pessoas protestam em frente ao Congresso Nacional. Foto: Agência BrasilMais de 20 mil manifestantes estão em frente ao Planalto, em Brasília. Foto: BSB Valter Campanato ABrMais de 20 mil manifestantes estão em frente ao Planalto, em Brasília. Foto: BSB Valter Campanato ABrMais de 20 mil manifestantes estão em frente ao Planalto, em Brasília. Foto: BSB Valter Campanato ABrManifestantes voltam às ruas no DF com bandeiras contra a PEC 37, "Fora Renan", contra obras da Copa e outras bandeiras. Foto: Nivaldo Souza/iG Brasília

A PM também terá policiais à paisana para identificar manifestantes que se envolverem em atos de depredação ou que tentarem furar o bloqueio policial. Esses policiais irão repassar informações para uma coluna de policiais do batalhão de choque que ficará atrás da PM. Ao serem identificados, os líderes mais exaltados no enfrentamento com a polícia, o choque irá pinçá-los no meio da multidão.

A decisão ocorre após depredação e fogo ateado por um grupo de manifestantes no Itamaraty, na semana passada. Por isso, a PM irá destacar 4 mil homens para o esquema desta quarta-feira.

A orientação é diferente da repassada na semana passada, quando a ordem dada aos policiais era para evitar confronto com manifestantes. Desta vez, o efetivo deve combater os depredadores e efetuar um número maior de prisões. "A polícia não vai aceitar atos de violência contra policiais", disse ao iG o tenente-coronel Zilfrank Antetero, chefe do Centro de Comunicação da PM de Brasília, ressaltando que a corporação vai "coibir com mais energia" atos considerados "delituosos".

Mais: 'Sou da paz' critica uso de policiais à paisana durante protestos em São Paulo

O endurecimento da polícia também foi acertado pelo comando da Segurança Publica do Distrito Federal. Os policiais foram orientados a se comportar de forma mais enérgica contra manifestantes que praticarem atos de depredação.

A Esplanada dos Ministérios será toda interditada para o trânsito de veículos. Os policiais também terão esquema de ronda especial para as ruas adjacentes à Esplanada. Segundo informações da PM, será feita uma triagem dos manifestantes a partir da Rodoviária do Plano Piloto de Brasília, que fica do lado oposto ao Congresso, por onde os manifestantes chegam de todo o DF.

Manifestantes com bolsas e mochilas serão revistados. A polícia pretende apreender bombas, morteiros e sinalizados que possam ser jogados contra a PM - na semana passada, um grupo de manifestantes utilizaram esse tipo de material para tentar desfazer o cordão de isolamento no Congresso.

Leia tudo sobre: brasíliaprotestopolícia militardistrito federal

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas