Emedebistas tentam articular encontro entre Lula e Temer
Cesar Itiberê/PR - 21/12/2018
Emedebistas tentam articular encontro entre Lula e Temer

grupo de emedebistas que defende o apoio ao petista Luiz Inácio Lula da Silva se reúne na tarde desta terça-feira com Michel Temer com o objetivo principal de articular uma encontro entre os dois ex-presidentes da República. Os ressentimentos que surgiram na época do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff são empecilhos para essa aproximação.

A conversa no escritório de Temer, no bairro do Itaim Bibi, em São Paulo, servirá para sondar a receptividade do ex-presidente medebista. O presidente do MDB, Baleia Rossi, se recusou a participar da conversa. Temer já foi um entusiasta da senadora Simone Tebet (MS), mas nos últimos dias seus aliados mais próximos passaram a demonstrar pessimismo com a viabilidade da pré-candidata do MDB.

Assessores diretos de Temer afirmam que uma ponte com o PT depende exclusivamente de um gesto de Lula, que teria que ir ao seu encontro. Aliados dizem que o medebista quer que o petista se comprometa a não revogar a reforma trabalhista feita na sua gestão. Eles afirmam que o ex-presidente concorda até com uma revisão na reforma que amplie direitos a trabalhadores de aplicativos, mas dizem que espera um aceno de Lula de que as reformas aprovadas por seu governo serão "preservadas".

Temer ficou irritado por ter sido xingado de "escravocrata" por setores da esquerda em razão das mudanças feitas por ele na lei trabalhista. O ex-presidente também tem deixado claro que não aceita mais dialogar com quem o chama de "golpista", numa referência às acusações de que ele teria conspirado para o impeachment de Dilma.

Para Lula, uma aproximação com Temer renderia desgaste com a militância petista, justamente por causa da atuação dele durante o processo de impeachment de Dilma. Segundo aliados, porém, o ex-presidente está disposto a fazer tudo que for possível para atrair o MDB, o PSD e o União Brasil para a sua candidatura.

Na segunda-feira, o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), disse em reunião com Lula que representantes de 11 estados apoiavam a candidatura do petista no primeiro turno . Como resposta, nesta terça-feira  dirigentes da sigla em 19 estados divulgaram manifesto ratificando o compromisso com a candidatura de Tebet.

Na segunda-feira, após a reunião dos medebistas com Lula, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, foi questionada se o partido tinha problema em conversar com Temer. A petista respondeu que caberia aos líderes do MDB fazer essas articulações internas.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários