Deputados da bancada baiana se reuniram com o presidente da Câmara, Arthur Lira
Assessoria/ Arthur Lira
Deputados da bancada baiana se reuniram com o presidente da Câmara, Arthur Lira


Presente na reunião da bancada baiana com o presidente da Câmara , Arthur Lira (PP-AL), a deputada Lídice da Mata (PSB-BA) avaliou o encontro como proveitoso. De acordo com ela, um grupo composto por 17 dos 39 parlamentares do estado tomou a iniciativa de levar o problema da devastação nas cidades para o Congresso Nacional e debateu as fases do processo de recuperação.

"Ele defendeu muito claramente a necessidade de termos um orçamento sem limites, sem estar referenciado no teto de gastos", contou Lídice ao iG, ao falar de Arthur Lira. Ela afirma que o presidente da Câmara demonstrou sensibilidade com a questão e os parlamentares discutiram a possibilidade da Casa criar um  fundo permanente para ser acionado em desastres desta natureza.

Também presente no encontro, o coordenador da bancada baiana, Marcelo Nilo (PSB-BA), reforçou a avaliação da correligionária. Em suas redes sociais, ele divulgou um vídeo em que comenta a promessa de Lira de "adotar todas as providências" para liberar recursos em prol da construção de um projeto de médio e longo prazo.

No Twitter, após a reunião, o próprio Lira anunciou que pretende pautar "alterações de lei" para que a ajuda financeira chegue mais rápido aos estados, "sem tantas burocracias". Tais mudanças serão adotadas no retorno das atividades parlamentares, a partir de 1º de fevereiro.

Leia Também


No caso atual, da Bahia, o pleito é para que o aporte seja bilionário. "Deixamos claro que não se trata de alguns poucos milhões. Para a reconstrução, vamos ter que pôr a discussão na casa dos bilhões, no mínimo R$ 2 bilhões pra iniciar a conversa", defendeu Lídice, que chamou a medida provisória para liberação de R$ 200 milhões , anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), de "algo inimaginável". "Isso não dá pra nada", criticou.

No âmbito estadual, o governador Rui Costa prometeu um auxílio , cujo valor ainda não foi divulgado, para as pessoas atingidas, além de benefícios nas contas de luz, água, linhas de crédito para empresários que tiveram seus negócios destruídos e outras ações.


Cidades do Sul, Extremo Sul, Sudoeste e do Recôncavo baiano têm sofrido com fortes chuvas desde o início do mês. Os temporais devastaram diversos municípios, provocaram a morte de 21 pessoas e deixaram outras 358 feridas. Há ainda 34.163 desabrigadas e 42.929 desalojadas, segundo o balanço divulgado pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec) na tarde desta terça-feira (28).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários